Rede aleluia
Beleza não é virtude
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Núbia Siqueira | 2 de Junho de 2021 - 22:19


Beleza não é virtude

Leia e medite na mensagem de hoje

Beleza não é virtude

Por que tratamos como algo essencial aquilo que Deus chama de enganoso e fútil?

Temos alguns casos que a Bíblia cita a beleza de determinadas pessoas, mas não mostra isso como um fator predominante para o seu favorecimento aos olhos de Deus.

Então, está explicado por que a beleza não permanece num corpo por muito tempo. Ela não é fundamental. Ela não é virtude. Ela não determina a felicidade do ser humano. Ela não cria relacionamentos verdadeiros. São tantos “ela não é”.

Mas, tem dois adjetivos que definem bem o que ela é: “Enganosa é a beleza e vã a formosura(…)” Provérbios 31.30

Isso é um grito num alto-falante para um mundo que ama o belo, a elegância, a simetria, a perfeição das curvas, das formas, dos músculos, da pele, do cabelo…e que paga caro por isso!

Assim, antes de você lamentar-se por não ser bonito (a) como gostaria, ou, em nome da autoestima, desarmonizar todo o seu rosto, escute o que a sabedoria divina ensina.

Vamos aprender a arte da satisfação (uma difícil tarefa numa geração de insatisfeitos), e vamos apreciar a beleza de uma consciência limpa, da fidelidade, da firmeza na palavra empenhada, da saúde, do contentamento e de tantos atributos valiosos.

E, se a beleza natural e sem grandes enfeites, é caracterizada como ilusória, o que diremos da artificial?


Beleza não é virtude
  • Núbia Siqueira / Foto: Istock 


reportar erro