Rede aleluia

Notícias | 27 de janeiro de 2019 - 00:05


Zaqueu: o publicano que subiu em uma árvore para ver Jesus

O ator Hilton Castro fala de seu papel na trama bíblica Jesus, da Record TV

O cobrador de tributos, chefe dos publicanos, Zaqueu, interpretado pelo ator Hilton Castro, é um personagem bíblico que despertava a repulsa do povo judeu e causava irritação do telespectador da novela Jesus, da Record TV. O fato de ele ter enriquecido à custa dos altos valores dos impostos cobrados de forma indevida das pessoas em nome do imperador romano é o motivo para que ele seja odiado por muitos.

Em entrevista exclusiva à Folha Universal, Hilton comentou que, naquela época, ser aliado de Roma era como ter passe livre para enriquecer ilicitamente. “Zaqueu era odiado pelos judeus porque negava sua própria origem, sua raiz, sua história, e principalmente porque extorquia a população com tributos e juros altos. Ele é um baixinho arrogante, sorrateiro e que não mede esforços para enriquecer”, relatou.

O ator falou ainda das dificuldades e também da alegria de dar vida a Zaqueu. “Não foi fácil compor Zaqueu. Por ser nordestino, ao longo da minha carreira, sempre fiquei restrito a fazer papéis específicos. Era sempre chamado para interpretar porteiros, faxineiros e personagens engraçados pelo fato de ser baixinho e gordinho. Assim que fui convidado para viver o cobrador de impostos, fui estudar as passagens bíblicas e assisti a muitos vídeos. Contei com a ajuda primordial do diretor Ajax Camacho, que me conduziu na primeira cena, e com o apoio de estudiosos da Bíblia que me orientaram. Aos poucos, fui achando o tom e as nuances para fazer a melhor interpretação possível e assim Zaqueu foi sendo construído”, declarou.

Interesse pelas palavras de Jesus
Na trama, Zaqueu ouve que Jesus (Dudu Azevedo) estava pregando palavras de amor, de arrependimento e de Salvação e que operava milagres por onde passava. Curioso, ele começou a segui-Lo às escondidas e depois de presenciar a cura de Ami (Felipe Cardoso), que era aleijado, passou a ter compaixão pelas pessoas, como, por exemplo, da ex-prostituta Adela (Adriana Garambone). Para o ator, mesmo sendo um publicano ambicioso, Zaqueu passou a experimentar um misto de sentimentos e começou a se interessar pelas palavras de Jesus.

Ao saber que o Mestre estava passando por Jericó, Zaqueu correu para vê-Lo. Por ser um homem de baixa estatura e estar no meio da multidão que seguia Jesus, Zaqueu precisou subir em uma figueira que ficava no caminho por onde o Messias passaria. Ao se aproximar da árvore, Jesus avistou Zaqueu e o chamou pelo nome, pedindo para que descesse e o recebesse em sua casa.

Zaqueu desceu depressa e ofereceu um banquete para Jesus e seus discípulos. Em sua casa, tocado pelas palavras de Jesus, o publicano decide doar metade de seus bens aos pobres. Jesus então afirma que a Salvação havia chegado àquela casa depois do arrependimento do publicano.

Para Hilton, o tratamento de Jesus com o cobrador de impostos representa uma mensagem de perdão. “A cena em que Jesus pede a Zaqueu que desça depressa da árvore e diz que faria de sua casa a morada dEle nos apresenta uma grande lição. Jesus mostra que até mesmo a alma mais obscura pode encontrar a luz. Ele perdoa nossos erros, é a maior prova de amor e a maior riqueza que alguém pode ter”, disse.

Fortes emoções
O ator revelou que a cena de maior impacto foi quando seu personagem foi surpreendido ao ser chamado por Jesus pelo nome, mas que também se sentiu mobilizado em muitas outras, como a em que Zaqueu dá algumas moedas a Adela para que ela possa comprar a liberdade de sua filha Diana (Caca Ottoni ).

Fé em alta
O ator relatou que não conhecia a Bíblia, passou a lê-la para compor o personagem e que essa descoberta tem feito muito bem a ele. “Sempre fui um homem de fé. Sempre acreditei em Jesus e em seus ensinamentos, mas confesso que nunca tinha lido a Bíblia e passei a lê-la em busca de embasamento para compor Zaqueu. A leitura tem sido muita boa e importante para mim, pois minha fé está em tudo. Ter fé é acreditar em dias melhores para a humanidade, que infelizmente vem se perdendo ao longo da história”, destacou.

Hilton finalizou dizendo que se sente muito grato à direção e à produção da trama. “Estou muito feliz por poder fazer parte dessa grande obra. É emocionante poder contar a maior história do mundo. Vou feliz para as gravações porque encontrei uma equipe dedicada na Record TV.”


  • Kelly Lopes / Fotos: Blad Meneghel 


reportar erro