Rede aleluia

Notícias | 12 de abril de 2018 - 03:05


Voluntários que atuam em presídios participam de curso de segurança

Cerca de 230 pessoas do grupo UNP estiveram presentes na Universal de Sergipe. Veja como foi

No dia 18 de março último, cerca de 230 voluntários do grupo Universal nos Presídios (UNP) de Aracajú, capital de Sergipe, estiveram presentes na sede da Universal do estado para participar do primeiro curso de capacitação com foco nas normas de segurança que são aplicadas no sistema prisional local.

O Bispo Joel Araújo, atual responsável pelo trabalho do UNP no estado, foi quem deu início ao curso, enfatizando que todo aquele que busca agradar a Deus tem que ser obediente e disciplinado. Na ocasião, o Bispo mencionou o que Deus ensina por meio da Sua Palavra sobre a obediência: “O que ama a instrução ama o conhecimento, mas o que odeia a repreensão é estúpido” Provérbios 12.1.

“Assim como no Reino de Deus há disciplina, no sistema prisional não é diferente, pois possui regras que devem ser obedecidas”, comentou o Bispo Joel.

Após a Palavra de fé, as palestrantes, Stela Joice, integrante da guarnição da Polícia Feminina do presídio feminino PREFEM e a Sargento Pétula Macedo, ministraram a palestra orientando os presentes como devem agir e quais os cuidados a serem tomados quando estiverem realizando o trabalho de evangelização dentro das unidades prisionais.

Foram abordados os seguintes aspectos:

– A necessidade de identificação ao chegar no presídio, mediante a apresentação do RG e assinatura de uma lista de presença (para a própria segurança do integrante do grupo, caso ocorra uma rebelião);

– Ter cautela com o vestuário utilizado (a palestrante elogiou a forma padronizada como o grupo UNP Sergipe se apresenta);

– Orientou que deve ser evitado o uso de celular dentro da unidade;

– Frisou também que existem horários de chegada e saída para a realização do trabalho, os quais são estabelecidos pela direção;

– Alertou ainda que, por medida de segurança, ao término do trabalho, a saída do voluntário deve acontecer antes do recolhimento das internas para os pavilhões;

– Ressaltou a importância de não ser criada uma relação muito íntima com os internos ao ponto de haver comprometimentos pessoais que desenvolvam em algum tipo de problema;

– A palestrante também orientou que não deve ser prometido nada a nenhum interno.

Ao final do evento, o Bispo Joel ressaltou a importância de todos os que fazem parte da família UNP Sergipe seguirem as orientações que receberam, com um único objetivo: o de ganhar almas, salvando aquele que se encontra encarcerado e desprezado pela sociedade.

O curso enriqueceu a todos os presentes e segundo Charlton Pedral dos Santos, empresário e voluntário do UNP Sergipe, as orientações o conduziram a repensar e ponderar as ações e situações que ocorrerem, que possam colocar em risco a integridade pessoal ou de colegas, e desviar a conduta do trabalho tão grandioso e maravilhoso.

“Saímos mais confiantes e, principalmente, aprendemos a não desistir diante de problemas, estando sempre abertos a soluções e consultando nossos superiores e a Deus na condução dos trabalhos internos e externos realizados nos presídios do estado”, ressaltou Charlton.

Já a servidora pública, Sydneyde Bezerra, também voluntária do UNP Sergipe, o curso sinalizou para que, mesmo diante de situações que mexem tanto com o lado emocional, não se deve agir pelo sentimento, desviando do foco espiritual. “Quando estamos realizando o trabalho interno, frente a frente com as internas, sentimos a dor de cada uma delas, mas não podemos esquecer que a ajuda que estamos oferecendo não pode transgredir as regras de conduta e de segurança; por mais que a intenção seja boa, as leis estabelecidas nunca devem ser burladas”, comentou.

Se você também deseja se tornar um voluntário do grupo UNP, procure uma Universal mais próxima de sua casa e obtenha mais informações.

Para saber mais sobre os trabalhos realizados, visite a página oficial do grupo UNP Brasil, no Facebook.


  • Por Sabrina Marques / Fotos: Cedidas 



reportar erro