Rede aleluia
Você está em um relacionamento “xarope”?
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 12 de Maio de 2022 - 23:16


Você está em um relacionamento “xarope”?

Renato e Cristiane Cardoso, apresentadores do “The Love School”, explicam o que é e como mudar

Você está em um relacionamento “xarope”?

No programa The Love School – A Escola do Amor, exibido no último sábado (07), os apresentadores Renato e Cristiane Cardoso destacaram que muitas pessoas estão vivendo um relacionamento “xarope” e ainda não se deram conta.

Por que isso é importante:

Muitos casais vivem uma relação repleta de ciúmes, ansiedade, brigas, desconfiança –  ingredientes de um relacionamento “xarope” –  e não sabem como agir.

  • Normalmente, tem um que é apaixonado pelo outro, a pessoa tem literalmente o coração dela entregue à outra pessoa. E para não perder essa pessoa, ela faz concessões e mais concessões, e vai se anulando no relacionamento”, destaca Renato.

4 sinais de um casamento “xarope”:
 1º – Entediante – faltam interesses comuns

O apresentador explica que o fato de o casal ter personalidades diferentes ou que haja muitas diferenças entre eles, isso não é um problema. Mas eles precisam encontrar interesses comuns, alinhar esses interesses, a fim de que o relacionamento se torne motivador, excitante.

  • “Muitos casais passam a viver um casamento ‘xarope’ pela falta de interesses em comum, e isso acontece gradativamente, porque ambos estão buscando coisas diferentes. Então, você precisa se interessar pelo que o outro se interessa, procurar atender às necessidades da outra pessoa”, aconselha.
2º – Enjoativo – excessos que adoecem o relacionamento

Um exemplo disso é o celular, que apesar de ser uma ferramenta extremamente útil e que nos ajuda muito, pode ser um veneno quando usado em excesso.

Muitas vezes, o marido ou a esposa quando está em casa, em vez de dar atenção ao cônjuge fica no celular o tempo todo. Ou seja, está mais preocupado com os likes da sua rede social do que com a pessoa que está ao seu lado.

  • “Às vezes, a pessoa cobra demais, fica sufocando com uma cobrança excessiva de atenção, de alguma coisa que está desequilibrada. Muitos casais têm o problema de expectativas frustradas e a pessoa quer que o cônjuge realize para ela. Então, ela enche a cabeça dele com uma cobrança, muitas vezes, irrealista, então, isso enjoa!”, alerta o apresentador.
3º – As conversas não batem

Embora tenha a ver com o primeiro sinal, diz respeito, especialmente, ao fato de os casais não saberem conversar. Quando conversam é sobre contas, mercado, filhos, etc.  Não demonstram nenhum interesse em saber o que está acontecendo na vida do outro e em como ajudá-lo. Vivem na mesma casa, mas em mundos diferentes, cada um com seus projetos e sonhos. E quando se perde a cumplicidade, chega uma hora que a pessoa não sabe por que está casada.

Para conviver bem com alguém você precisa saber o que interessa à outra pessoa. Você só faz aquilo que gosta e quer que o outro seja forçado a gostar das mesmas coisas, e não é assim! Você tem que saber o que é compartilhar, fazer companhia.  Fazer algo que seu cônjuge gosta, mesmo que você não tenha muito interesse. Faça isso por amor, por companheirismo.

4º – Intimidade inexistente ou horrível

Não há mais intimidade nas conversas e muito menos física. Não há carinho, toque, beijo, enfim, sexo não existe mais ou, quando acontece, não é prazeroso.

A solução:

Renato explica que quando as pessoas vêm nas palestras da Terapia do Amor recebem um choque de realidade. Isso porque elas conseguem enxergar o problema, identificar o que está errado no relacionamento e o que está de errado nelas. Ao frequentar as palestras, elas não só descobrem o diagnóstico, mas, também a cura, o tratamento para isso. E quando aplicam o que é ensinado, o problema é resolvido.

Maio – o mês dos casais:

Então, tire esse mês de maio – o mês dos casais na Terapia do Amor, para investir no seu casamento. Participe todas as quintas-feiras das palestras do “Curso de Renovação do Casamento” e tenha seu relacionamento transformado.

A Terapia do Amor acontece no Templo de Salomão e em outras localidades. Consulte aqui os endereços.


Você está em um relacionamento “xarope”?
  • Jeane Vidal / Fotos: iStock 


reportar erro