Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 13 de dezembro de 2018 - 11:16


Você cuida da sua postura física no seu local de trabalho?

Veja ações simples para prevenir problemas durante a sua atividade profissional

Os seres humanos passam grande parte da vida trabalhando: alguns em pé, outros sentados, muitos fazendo esforço físico e outros em frente ao computador. Em todas essas situações, a maioria executa ações que podem ser prejudiciais. Em 2017, cerca de 22 mil trabalhadores foram afastados do trabalho por mais de 15 dias por causa de doenças relacionadas a lesões por esforço repetitivo (LER) e distúrbios osteomusculares (LER/Dort), segundo dados do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).
Sentar torto
Para o educador físico William de Almeida, com experiência na área de ginástica laboral, um dos principais problemas é sentar de forma errada. “Sentar-se torto e não observar a curvatura natural que tem que ser preservada é recorrente. Muitos também não prestam atenção à altura irregular da mesa e da cadeira nem ao apoio adequado dos pés quando estão nas estações de trabalho. Outro aspecto é a disposição errada das máquinas com uma distância inadequada, o que não permite ao usuário apoiar os braços. A falta de espaço para as pernas também é prejudicial”, avalia.
“Como consequência, as pessoas acabam tendo lesões como tendinite, bursite, dedo em gatilho, síndrome do desfiladeiro torácico e do pronador redondo e mialgias causadas por mecanismos de agressão, que vão desde esforços repetidos continuadamente ou que exigem muita força na execução até vibração, postura inadequada e estresse. Elas podem afetar músculos, nervos e tendões dos membros superiores principalmente e sobrecarregar o sistema musculoesquelético”, analisa.
Ele diz que há como se prevenir: “observe se o seu computador está posicionado de forma que não precise se curvar ou torcer o tronco para pegar ou usar a ferramenta com frequência. Qualquer que seja o seu trabalho, faça pausas, pois elas ajudam a aliviar os músculos exigidos constantemente. Levante-se e caminhe um pouco. Um espaço adequado para ginástica laboral, para alongamentos e exercícios, também colabora para a redução dos problemas. Dessa forma, o corpo estará mais bem preparado para as atividades rotineiras.”


  • Eduardo Prestes / Foto: Fotolia / Arte: Edi Edson 


reportar erro