Rede aleluia
Valorização da vida como ação de enfrentamento à depressão
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 6 de Julho de 2021 - 10:05


Valorização da vida como ação de enfrentamento à depressão

Mobilização nacional no mês de julho, sábado (17), para a promoção da valorização da vida e a superação de dificuldades emocionais e comportamentos autodestruitivos

Valorização da vida como ação de enfrentamento à depressão

O projeto social Depressão Tem Cura (DTC) fará uma mobilização nacional no dia 17 de
julho, sábado, com o intuito de promover a valorização da vida. Milhares de voluntários
estarão disponíveis, em espaços abertos e públicos, para ouvir e ajudar pessoas que, neste
momento, enfrentam dificuldades emocionais.

Durante a pandemia de Covid-19, a necessidade de isolamento e distanciamento social, a
reclusão em espaços nem sempre harmoniosos, o desemprego, a instabilidade financeira e
as próprias consequências mais imediatas da doença, como sequelas físicas, mentais e
óbitos, permearam gatilhos para o aumento dos casos de depressão, síndrome do pânico e
ansiedade.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), entre os países americanos, o Brasil é
aquele que apresenta o maior número de pessoas acometidas por transtornos de ansiedade
e o segundo em casos de depressão. No mundo todo o índice de suicídios vêm aumentando,
principalmente entre os jovens. Em nosso país, a autodestruição já se apresenta como uma
das principais causas de morte.

No mês passado, circulou na mídia o caso de uma jovem de aproximadamente 30 anos que
ateou fogo no próprio corpo com o objetivo de suicidar-se. O motivo dessa decisão foi um
problema em seu relacionamento amoroso. A sua própria vida foi desvalorizada em virtude
de não receber o perdão de outra pessoa, seu marido.

No dia 17 de julho, a mobilização “Valorize sua vida” tem como foco justamente promover a
compreensão de que os problemas, sejam de qualquer ordem e em qualquer gravidade,
podem ser enfrentados e superados. As situações difíceis não devem ser mais importantes
que a própria vida, nosso bem mais precioso.

“Esse grupo tem realizado um trabalho intenso em todo o Brasil, e levado apoio emocional e
espiritual às pessoas que sofrem com o mal do século”, diz Jefferson Garcia, responsável pelo
projeto no país.

O projeto Depressão Tem Cura iniciou suas ações de enfrentamento à depressão, à
ansiedade e outras dificuldades emocionais em 2018. No ano de 2020, 144.685 brasileiros
receberam apoio emocional e espiritual do grupo. Além das mensagens de fé e esperança
espalhadas continuamente pelos voluntários, são realizados atendimentos individuais e
visitas. Há ainda canais de comunicação em diversas redes sociais, como o
@a.depressaotemcura.

(*) Colaboração Alita Paraguassú


Valorização da vida como ação de enfrentamento à depressão
  • Redação 


reportar erro