Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 27 de maio de 2018 - 03:05


UNP realiza ação no Dia das Mães

Evento aconteceu em penitenciárias e complexos provisórios de diversas cidades

Em comemoração ao Dia das Mães, o grupo Universal nos Presídios (UNP) realizou diversas atividades para acolher e homenagear as mães daqueles que estão privados de liberdade e também as mães que estão presas em várias penitenciárias e complexos provisórios do País. O objetivo foi oferecer um momento de alegria e esperança na data especial, quando muitas delas nem sequer acreditam que têm motivos para comemorar.

O evento, que aconteceu em alguns Estados, foi realizado dentro e fora dos presídios. Na capital de São Paulo, um mesa farta de café da manhã foi oferecida simultaneamente na entrada dos centros de detenção provisória dos bairros Belém e Vila Independência, e na penitenciária feminina de Santana.

Cerca de 350 voluntários atuaram só no Estado de São Paulo. A designer de sobrancelha Evelyn Cristina Rodrigues, de 30 anos, é uma das pessoas que dedicou o dia para ajudar. Há dois anos, ela estava privada de liberdade. Hoje, ela integra o grupo UNP. “Quem já esteve preso sabe o sofrimento que passamos dentro da cadeia. Quando a gente está lá, pensa que não tem importância para a sociedade. A gente não sabe o que vai acontecer com a nossa vida ao deixar a prisão. O trabalho da Igreja mostra que cada preso e presa tem valor. Isso me motivou a ser voluntária, pois a minha vida mudou. Hoje, eu tenho paz e um casamento feliz, coisas que eu não tinha. Quero mostrar aos demais que isso é possível.”

Visitantes

A dona de casa Cristina França, que visitava a filha na penitenciária de Santana, falou sobre a experiência. “Essa data é um pouco triste, pois queria que minha filha estivesse aqui fora comigo. Mas ver esse café da manhã feito com tanto carinho e saber que lá dentro também existe o trabalho da Igreja é como uma saída no fim do túnel. Minha filha tem ido às reuniões lá dentro e eu já percebo a mudança”, conta.

A missão

Para o Bispo Eduardo Guilherme, responsável pelo trabalho do grupo UNP no Brasil, essas ações são fundamentais. “Todos os anos, em todas as datas comemorativas do nosso País, nós realizamos esse trabalho social voltado para as famílias, nas portas dos presídios. Sabemos que, quando o preso sabe que alguém está cuidando da sua família, ele fica mais tranquilo. Muitos se envolveram no crime para conseguir sobreviver e hoje estão cumprindo suas penas. Fizemos um café da manhã especial para o Dia das Mães. Em alguns Estados, fizemos dia da beleza e da dança. A família é a base de tudo. Quem pensa no próximo pensa como Deus”, finaliza.

Esse é um dos inúmeros trabalhos desenvolvidos pelo UNP. Se deseja fazer parte desse grupo, procure uma Universal mais próxima da sua casa. Para mais informações, acesse a página oficial do grupo na rede social clicando aqui.


  • Por Maiara Máximo / Foto: Cedida 


reportar erro