Rede aleluia
Unigrejas processa escola  de samba Gaviões da Fiel
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 12 de Maio de 2019 - 00:05


Unigrejas processa escola de samba Gaviões da Fiel

União Nacional das Igrejas e Pastores Evangélicos reúne abaixo-assinado com assinaturas de 7 mil representantes de igrejas de todo o País

Unigrejas processa escola  de samba Gaviões da Fiel

A União Nacional das Igrejas e Pastores Evangélicos (Unigrejas) entrou, recentemente, com um processo contra a escola de samba Gaviões da Fiel, de São Paulo. No carnaval deste ano, a comissão de frente da escola encenou a figura do diabo lutando com a de Jesus, como se estivesse vencendo-O. Na cena, Jesus é arrastado e surrado pelo diabo e cai no chão.

Por causa da repercussão negativa, a Gaviões da Fiel até tentou desmentir a polêmica. Mas o coreógrafo da escola, na época, admitiu que tudo foi proposital quando afirmou que “o foco era mesmo chocar (…), mexer com essa polêmica entre Jesus e o diabo e com a fé de cada um.”

Unigrejas recolheu7 mil assinaturas

A Unigrejas reuniu em um abaixo-assinado assinaturas de 7 mil representantes de igrejas de todo o País. A Unigrejas entende que a escola de samba desrespeitou os cristãos, incitou o ódio e cometeu o crime de intolerância religiosa, previsto no Código Penal.

O presidente da Unigrejas, Eduardo Bravo, acompanhado do advogado Alan Nazário, esteve no Ministério Público Federal (MPF), na capital paulista, para protocolar o documento. O processo pede a abertura de uma investigação criminal contra a escola de samba.

“Nós rejeitamos todo tipo de preconceito e de intolerância religiosa. E os sinais da fé estão cada vez mais sendo ridicularizados. Não podemos ficar calados diante de tanta intolerância”, afirmou Bravo.

Vilipêndio
Vilipêndio é o “ato de tornar (alguém ou algo) vil, rebaixado, indigno; desvalorização, aviltamento”. Conforme o artigo 208 do Código Penal: “Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso” é crime com pena de detenção de um mês a um ano ou multa.

A Procuradoria do MPF deve se pronunciar em até dois meses sobre a abertura do inquérito. Os representantes da Gaviões da Fiel e o carnavalesco responsável pelo desfile deste ano podem ser chamados para prestar esclarecimentos. E, por conseguinte, até ser presos.


Unigrejas processa escola  de samba Gaviões da Fiel
  • Redação / Foto: ERIK TEIXEIRA/RAW IMAGE/ESTADÃO CONTEÚDO 


reportar erro