Rede aleluia
Uma novela lhe revelou o caminho certo
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 20 de Novembro de 2022 - 00:05


Uma novela lhe revelou o caminho certo

Interessada pelo Egito, Shirley de Lima passou a acompanhar uma produção bíblica e, aos poucos, as lições de fé transformaram sua vida

Uma novela lhe revelou o caminho certo

Desde a infância, a vida da autônoma Shirley de Lima, de 40 anos, foi dividida pelas crenças familiares. “Minha mãe era evangélica e meu pai servia aos encostos”, conta. Seus pais se divorciaram e, aos 18 anos, ela se viu sozinha e desamparada quando sua mãe foi embora.

Em busca de algo que a completasse e tirasse a profunda tristeza que sentia, Shirley tentou a música e uma delas a agradou. “Me contaram onde tocava aquela música e eu fui.

Chegando lá, era uma balada gótica e me aprofundei nisso, também me viciei em bebida alcoólica e, quando sentia sede, beber água já não me saciava, apenas a bebida”, recorda.

Ela passou a ter depressão e síndrome do pânico e chegou a usar medicamento controlado. “Sem saber o que fazer, entrei no mundo da prostituição e achei que isso resolveria. Foi onde conheci as piores pessoas e me sentia suja e usada. Eu tomava banho, mas aquela sujeira não saía porque era interna. Cheguei ao fundo do poço”, narra.

Curiosidade pelo Egito
A essa altura, Shirley já se denominava ateia e não acreditava em mais nada. “Soube que ia passar na televisão uma novela chamada Os Dez Mandamentos, que tinha muita coisa sobre o Egito, que tem a ver com o mundo gótico. Por curiosidade, comecei a assistir”, relata.

Inicialmente, a trama com os hebreus a irritava, mas uma cena deu início a sua mudança: “os hebreus estavam sofrendo com a escravidão e falaram que tudo que estava acontecendo era porque se esqueceram de Deus e clamaram. Nessa parte, também me ajoelhei e falei ‘Senhor, me perdoa’ e ali percebi que eu estava atrás dEle e Ele só estava me esperando”.

Ainda resistente a Deus, ela viu um comercial sobre o tour no Jardim Bíblico, no Templo de Salomão, e decidiu ir para saber mais sobre o Egito. Durante o passeio, ela se perdeu e entrou no Templo de Salomão. Ao notar que estava em uma igreja, saiu correndo e se restringiu apenas ao tour. Porém, depois disso, ela dormiu bem à noite e decidiu retornar ao local para participar de uma reunião.

A partir daquele dia, ela nunca mais deixou de frequentar o espaço. “Eu prestava atenção para saber se a Palavra de Deus era verdade, porque ainda tinha um pouco de ateísmo em mim.

Mas, conforme os dias passavam, sentia alguma coisa se transformando dentro de mim e larguei tudo, dos vícios à prostituição”, revela.

A completude que buscava
Depois de um ano, Shirley se livrou de seu passado e dos males que a acompanhavam, se batizou nas águas e passou a buscar pelo batismo com o Espírito Santo. “Eu precisava dEle dentro de mim. Em uma quarta-feira, Ele preencheu aquele vazio que procurei preencher a vida inteira. Tudo se renovou, os pensamentos mudaram e encontrei tudo que sempre busquei: a verdadeira paz”, recorda.

Ela afirma que desde então é outra Shirley em todos os sentidos e que sua história cheia de “traumas e dificuldades parece ter sido vivida por outra pessoa”. Agora, ela só se recorda desse passado para testemunhar a transformação que Deus fez nela e ajudar outras pessoas. “Hoje posso falar que minha vida faz sentido, pois, em tudo que faço, sou guiada pelo Espírito Santo”, conclui.


Uma novela lhe revelou o caminho certo
  • Laís Klaiber / Fotos: Arquivo pessoal 


reportar erro