Rede aleluia
Uma beleza a que todas nós temos acesso
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 18 de Setembro de 2022 - 00:05


Uma beleza a que todas nós temos acesso

Mal compreendida, a santidade cria em muitas mulheres o imaginário de um passaporte inatingível. No entanto, para quem a quer, ela é algo completamente possível

Uma beleza a que todas nós temos acesso

Cá entre nós, a santidade não é algo extremamente desejável. Nós não a vemos, por exemplo, liderar a lista de prioridades femininas ou ser tão desejada quanto entrar em um manequim 38 ou até, quem sabe, em um 36. Ela também não é tão celebrada quanto o colágeno em um pote de creme com promessas rejuvenescedoras. Assim, o lugar que resta à santidade no imaginário de muitas mulheres é o alto de uma prateleira, envolta por uma redoma de cristal com a palavra “inatingível” em letras fluorescentes.

Em um primeiro momento, a santidade pode assustar por nos levar a crer que, para nos encaixarmos nela, precisamos ter uma auréola dourada em nossa cabeça. Com essa ideia equivocada, a vida cristã parece um fardo. Contudo santidade não é sinônimo de perfeição, afinal de contas, ninguém é perfeito – exceto Deus. No entanto, muitas mulheres se escoram nessa crença para se esquivar da autorresponsabilidade de buscar uma vida de vigilância constante.

LEVANDO A SÉRIO
Em Salmos 29.2, lemos: “Dai ao Senhor a glória devida ao seu nome, adorai o Senhor na beleza da santidade”. Recentemente, o assunto foi discutido por Cristiane Cardoso durante uma meditação da Palavra. Ela explicou que “santidade é aquilo que há de mais belo” e a comparou à sensação que um bebê provoca em nós. “Quando você vê um neném, você logo sorri. Por quê? Porque ele é puro. Quando você vê algo puro, aquilo faz bem para você, enche os seus olhos e te dá gozo na alma. A beleza está na pureza”, disse.

No entanto, muitas vezes, associamos santidade a algo que beira o fanatismo porque não compreendemos seu significado. “Santidade é separação. Algo santo é algo separado”, explicou.

Muitas escolhas e situações ao nosso redor clamam por santidade. O casamento é uma delas. “A Bíblia fala (que o casamento) tem de estar sem mácula, sem mancha, sem coisas impuras, mas o mundo quer sujar algo que é para ser santo ao dizer que você tem de apimentar a relação e tentar coisas novas”, observou Cristiane. “A Bíblia fala que nosso corpo é templo do Espírito Santo (1 Coríntios 6.19-20), então, temos de cuidar bem dele, não podemos nos entregar a vícios ou ficar relaxadas com a alimentação.” A consciência e o coração também precisam estar santificados: “então, não podemos ter mágoa, maus olhos ou alimentar e entreter pensamentos e ideias sujas”.

ESCOLHAS
A busca pela santidade é algo espiritual e exige do cristão, no mínimo, interesse, curiosidade e boa vontade para se parecer com Cristo. “Você não tem de ter medo da santidade e de sacrificar coisas, pessoas, manias e hábitos pelo Senhor Jesus. Claro, você vai ter de ter equilíbrio, mas Deus se alegra de pessoas que se separam do mundo, que se afastam daquilo que não tem nada a ver com Ele. Se santificar é ter um comportamento diferente das demais pessoas, não porque você se acha melhor, mas porque você quer agradar a Deus. A santidade nos aproxima dEle. A santidade é linda, admirável e chama a atenção certa. Em sua santificação você tem essa beleza, que é admirável e não se compra, não está à venda”, concluiu.


Uma beleza a que todas nós temos acesso
  • Flavia Francellino / Foto: Getty Images 


reportar erro