Rede aleluia
Um dia para nunca ser esquecido
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 27 de Janeiro de 2021 - 00:05


Um dia para nunca ser esquecido

Hoje é Dia Internacional em memória das vítimas do Holocausto. Saiba a importância da data

Um dia para nunca ser esquecido

No mundo todo, o dia 27 de janeiro é guardado em memória dos milhões de vítimas do Holocausto, promovido pelo regime nazista – um evento fatídico na história da humanidade.

A Enciclopédia do Holocausto publica que, “entre 1941 e 1944, as autoridades nazistas alemãs deportaram milhões de judeus da Alemanha, dos territórios ocupados e dos países a elas aliados (o Eixo) para guetos e centros de extermínio, muitas vezes chamados de campos de extermínio, onde eram mortos nas instalações de gás especialmente criadas para aquele fim. Em 1933, a população judaica europeia era composta por mais de 9 milhões de pessoas. Em 1945, 9 anos após, os alemães e seus colaboradores haviam assassinado aproximadamente dois entre cada três judeus europeus por meio da operação denominada ‘solução final’, a política nazista cujo objetivo era matar todos os judeus da Europa”.

Quando Adolf Hitler assumiu o comando do governo alemão, em 1933, trouxe consigo uma ideologia de extermínio e massacre contra o povo judeu. Homens, mulheres, idosos e crianças não foram poupados dos horrores da ideologia de destruição que foi propagada pelo Terceiro Reich (como também era chamada a Alemanha Nazista).

O terror da Segunda Guerra Mundial

Logo nos primeiros anos de regime, os nazistas movimentaram-se para limitar os direitos de judeus em território alemão. Os judeus chegaram a ser proibidos de receber atendimento em hospitais, por exemplo.

Com o início da Segunda Guerra Mundial, a propagação do ódio e a perseguição por parte da Alemanha Nazista só aumentou. Os semitas passaram a ser enviados a campos de concentração onde eram obrigados a viver de maneira desumana.

Quando as pessoas chegavam aos campos, tinham de deixar todos os seus pertences com os nazistas e eram submetidas a trabalho escravo, má alimentação, torturas, entre outras atrocidades.

O Holocausto também foi marcado por um grande genocídio antissemita (em oposição aos judeus). As pessoas eram enviadas aos campos por meio de vagões ferroviários e quando não morriam por causa das terríveis condições a que eram submetidas, morriam por envenenamento.

A data que marca o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto foi escolhida em referência ao dia 27 de janeiro de 1945, em que aconteceu a libertação do principal campo de concentração nazista, Auschwitz, localizado na Polônia, no continente europeu.


Um dia para nunca ser esquecido
  • Daniel Cruz / Foto: Getty Images 


reportar erro