Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 5 de fevereiro de 2020 - 12:37


Torneio de damas do Calebe incentiva idosos ao lazer e à socialização

Atividades lúdicas são ótimas aliadas para o cuidado com a saúde mental na terceira idade

Envelhecer é um processo inevitável. Somente no Brasil, os idosos já são mais de 30 milhões, o que equivale a 14% da população do País. Entre os problemas mais comuns na terceira idade estão os transtornos mentais ou alteração de comportamento.

Nesse sentido, visto os estudos e estatísticas, idosos, cuidadores e seus familiares devem buscar por um envelhecimento saudável e com qualidade de vida.

Atividades lúdicas e jogos de tabuleiro são ótimos aliados para o cuidado com os idosos. Isso acontece uma vez que ajudam a memória e a resolução de problemas, estimulam agilidade, raciocínio e habilidades sociais. E, ainda reduzem o risco de doenças mentais e degenerativas.

Com essa finalidade, o grupo Calebe realizou, em janeiro último, um torneio de jogo de damas, que mobilizou vários grupos pelo Brasil.

“É muito importante para o Calebe a realização desse tipo de atividade entre os idosos. Ações como essa fazem, sobretudo, com que eles se sintam ativos e ajudam a enfrentar a solidão, por exemplo”, pontuou o Bispo Antonio Santana, responsável pelo trabalho do grupo no Brasil.

Lazer e socialização para os idosos

Os jogos de tabuleiro, além de proporcionar momentos de lazer e socialização para os membros da melhor idade no Calebe, têm sido algo proveitoso para o bem-estar deles.

A enfermeira aposentada Silvia Regina Pereira (foto ao lado), de 49 anos participou da competição de damas, em São Paulo.

“Com certeza é uma grande iniciativa fazer torneios de salão, que desafiam a nossa capacidade intelectual. Temos sido abençoados com essas atividades. Podemos treinar em qualquer lugar, na Igreja, nos passeios que fazemos e em casa. O maior atrativo é podermos interagir com outras pessoas, também de outras localidades, quando participamos das atividades”, contou.

Mais de 6 mil pessoas foram mobilizadas nos locais de atendimento do grupo Calebe. Sendo, 2.800 apenas em São Paulo. Ademais, centenas de voluntários acompanharam de perto o campeonato.

Para o responsável pelas atividades do grupo de Santa Cecília (capital paulista), José Faria Castro Neto (foto ao lado), de 65 anos, acredita que a atividade é uma maneira de incentivo.

“Muitas pessoas da terceira idade sentem o cansaço da idade e não têm paciência para apender e jogar. Por isso, o torneio de damas é importante, pois, além de ser um passatempo, incentiva a aprender algo novo e também ajuda a estimular o raciocínio”, concluiu.

Ao final das atividades, os participantes receberam troféus e medalhas.

Grupo Calebe

O grupo Calebe está presente em todo o Brasil e em mais 120 países. Há sete anos se dedica a desenvolver um trabalho diferenciado em benefício das pessoas da melhor idade.

Portanto, para saber mais onde acontecem as atividades do Calebe, visite a página oficial do grupo no Facebook.  Além disso, procure uma Universal mais perto de sua casa e converse com o responsável da região.


  • Michele Roza / Fotos: Cedidas 


reportar erro