Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 19 de agosto de 2019 - 11:26


Tabagismo: Inglaterra faz projeto para eliminar o vício até 2030

Meta foi alcançada devido ao grande prejuízo financeiro que vício causa aos países

A Inglaterra quer se tonar um país livre do tabagismo em 11 anos. Para isso, elaborou um conjunto de propostas que deve ser votado pelos deputados nos próximos dias. O objetivo é auxiliar não apenas os cidadãos, como também o país, que perde muito dinheiro devido ao vício em tabaco.

Atualmente 14% da população inglesa é fumante. Para alcançar os 5% desejados até 2030, o país pretende aumentar os tributos sobre os cigarros, promover atividades físicas e definir horas mínimas de sono para cada pessoa, entre outras propostas.

O objetivo é visto como essencial para a melhora das contas públicas inglesas e a melhora da qualidade de vida no país. A vontade de eliminar o tabagismo é tão grande que o projeto prevê que “todo fumante internado no hospital receba automaticamente ajuda para parar (de fumar)”.

A situação brasileira

Desde o início da década de 1990 o Brasil se empenha em eliminar o tabagismo. Pessoas mais velhas se lembram que, naquela época, esportes e festivais culturais eram patrocinados por marcas de cigarro. Também eram transmitidas propagandas em televisão, rádio e revista. O preço do cigarro era bem mais baixo e o número de fumantes no Brasil era muito maior.

Em 1990 36% de nossa população tinha esse vício. Em 2001 eram 32%. Nos anos seguintes as medidas de prevenção e eliminação do tabagismo foram tão eficazes que hoje “apenas” 10% dos brasileiros fumam.

Entretanto, o tabagismo ainda gera muitos prejuízos ao país. O estudo “Tabagismo no Brasil: Morte, Doença e Política de Preços e Esforços”, do Ministério da Saúde aponta que esse vício causa um prejuízo anual à nação de R$ 56,9 bilhões.

R$ 39,4 bilhões é gasto em despesas médicas que o Governo paga tanto via Sistema Único de Saúde quanto via planos de saúde particulares. Outros R$ 17,5 bilhões são perdidos por problemas como morte prematura e incapacitação de trabalhadores.

Esse dinheiro, que deveria estar sendo investido em saúde ou educação, por exemplo, faz muita falta aos cofres públicos.

Centenas de mortes por dia

Ainda segundo o estudo do Ministério da Saúde, 428 pessoas morrem por dia em decorrência do vício em tabaco. Esse número corresponde a 12,6% de todas as mortes anuais. Para efeito de comparação, esse número equivale a quase metade do número de mortes por arma de fogo no Brasil (250 mil/ano).

Muitos brasileiros – jovens, principalmente – enganam-se ao acreditar que alternativas como o narguilé são menos prejudiciais à saúde. Na verdade, estudos apontam que o narguilé equivale a 100 cigarros fumados.

Portanto, a solução mesmo é acabar com o vício.

Mas como fazer isso?

Além de ser responsabilidade do Estado livrar o país do vício, é responsabilidade de cada um libertar sua própria vida. Entretanto, milhares de pessoas relatam que já tentaram parar de fumar e não conseguem. Remédios, adesivos, tratamentos e clínicas têm se mostrado pouco eficazes no combate ao tabagismo.

A jovem Aline foi uma das pessoas que tentou se libertar desse vício diversas vezes, mas não obteve sucesso.

“Eu fiquei dois meses sem fumar e perdi a consciência totalmente. Eu fui parar em um hospital psiquiátrico”, afirma ela. De acordo com Aline, tentar parar de fumar lhe dava a sensação de que iria ficar louca.

Assista ao testemunho abaixo e descubra como Aline se libertou do vício em cigarro.

Você também pode ser liberto do vício. Procure hoje mesmo o Tratamento Para a Cura dos Vícios e descubra como. Clique aqui e descubra o endereço mais próximo.


  • Andre Batista / Foto: Getty Images 


reportar erro