Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 18 de maio de 2018 - 03:05


Surto de sarampo atinge o Brasil

Gravidade do problema desperta a atenção da OMS

Entre janeiro e maio duas pessoas morreram no Brasil em decorrência do sarampo. Pelo menos outras 102 pessoas foram contaminadas com a doença e 289 casos estão sendo investigados. Esse é o maior surto de sarampo do país em anos, sendo que, em 2016, o Brasil havia erradicado a doença.

Em 2018, onze países americanos relataram casos de sarampo, sendo que o Brasil é o segundo mais preocupante, com 104 casos confirmados, atrás da Venezuela, com 904. Já na Europa o número de contagiados cresceu 400% no último ano.

Como é o contágio e como se prevenir

O sarampo é uma doença viral extremamente contagiosa. Ela é transmitida por secreções respiratórios ou bucais de quem já está contagiado. Ou seja: pode-se passar sarampo falando, espirrando, tossindo ou, simplesmente, respirando. O vírus ainda permanece vivo tempos após expelido, especialmente em locais fechados. Ou seja: utilizar o transporte público que um doente utilizou no dia anterior já é uma maneira de contágio.

A boa notícia é que a vacina contra o sarampo é extremamente eficaz e está disponível o ano inteiro por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Por fazer parte da carteira obrigatória de vacinação infantil a maioria dos brasileiros já foi vacinado. Quem ainda não foi pode se dirigir à unidade do SUS mais próxima de sua residência para ser imunizado.

Sintomas da doença

Os primeiros sintomas do sarampo são tosse persistente, irritação ocular, febre e corrimento nasal. Após esses sintomas, manchas avermelhadas aparecem no rosto e vão descendo progressivamente até os pés.

Casos mais graves da doença podem provocar diarreias, problemas nas vias respiratórias e infecções no encéfalo. Também estão relacionados a esses casos pneumonias, convulsões infecção nos ouvidos e lesão cerebral.

Nos casos de morte registrados no Brasil os enfermos já apresentavam outras doenças quando contraíram o sarampo, que é mais agressivo em imunodeficientes, gestantes e desnutridos.

A gravidade da doença exige tratamento imediato. Na presença dos sintomas, procure o médico.


  • Por Andre Batista / Imagem: Fotolia 


reportar erro