Rede aleluia
Suicídio entre mulheres cresce 50% em 10 anos
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 15 de setembro de 2020 - 15:34


Suicídio entre mulheres cresce 50% em 10 anos

Pesquisas mostram que problemas psicológicos e emocionais também afetam mais o público feminino

Suicídio entre mulheres cresce 50% em 10 anos

Várias pesquisas mostram que suicídio e problemas psicológicos aumentam entre o público feminino. No Brasil, entre 2009 e 2019 o número aumentou 50%. Entre os homens o aumento foi de 37% no mesmo período, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

Outros estudos também revelam que a pandemia teve mais impacto na saúde mental das mulheres do que dos homens. No exame feito pela ONG americana Kaiser Family Foundation, mas elas afirmaram que a preocupação ou estresse ligado o novo coronavírus teve impacto negativo em seu psicológico. Foram 53% contra 37% dos homens, ou seja, uma diferença de 16%.

Os motivos para isso podem ser a sobrecarga de responsabilidades e exigência de produtividade. Por exemplo, a preocupação com trabalho, aliada às aulas online dos filhos e tarefas domésticas.

Leia também: Os 5 sintomas secretos da depressão mais perigosa

A solução do Alto

Muitas pessoas já tinham problemas psicológicos que se agravaram durante a pandemia. Outras passaram a apresentar esses sintomas ao enfrentar a quarentena, o isolamento social e a incerteza do futuro.

Infelizmente, o mundo todo está enfrentando este cenário de dúvida, ninguém sabe exatamente o que fazer, seja no campo da ciência ou da política. As pessoas ficam com os nervos à flor da pele.

“Quando a pessoa chega no colapso espiritual, mental e emocional, as suas estruturas cedem, o chão sai dos seus pés. As cobranças são muitas e o mal se aproveita dessa situação e lança pensamentos de fracasso. Eles se acumulam e ela perde as forças”, explica o Bispo Renato Cardoso.

Mas quando a pessoa tem o Espírito de Deus como sua base, permanece segura mesmo em meio ao caos. Quando Ele é o seu refúgio, passa a ter uma estrutura infalível e invencível. “Esta é a cura e blindagem contra a depressão, pois é impossível alguém que tem o Espírito Santo ficar depressiva. Claro que terá lutas, mas também terá condições de vencer”, acrescenta o Bispo.

Se você enfrenta esses problemas e precisa de ajuda, participe do Tratamento Para a Cura da Depressão e outros problemas da alma. O encontro acontece toda sexta-feira, no Templo de Salomão, às 7h, 10h, 12h, 15h e 20h. O endereço é Avenida Celso Garcia, 605, Brás, zona leste de São Paulo.

Você também pode ir a qualquer Universal. Encontre o endereço mais próximo da sua casa aqui.


Suicídio entre mulheres cresce 50% em 10 anos
  • Rafaella Rizzo / Foto: Getty Images 


reportar erro