Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 10 de janeiro de 2020 - 13:19


Suas amizades interferem em seus hábitos, comportamentos e saúde

É o que afirma a ciência. Saiba o que a Palavra de Deus diz sobre o assunto

É muito comum que ao ter amizade ou convivência íntima com um obeso você passe a ter uma alimentação semelhante e engordar. Aliás, também não é difícil ver que uma pessoa se tornou viciada em alguma droga depois de se tornar amiga de um viciado.

E isso não é só fruto da sabedoria popular que diz: diga-me com quem andas e te direi quem és. A ciência já confirma que as pessoas com quem temos contato constante podem influenciar nossos comportamentos.

Um estudo liderado por pesquisadores de universidades como Harvard e Cambridge, analisa o poder de contatos sociais desde os anos 40. O “Estudo Cardíaco de Framingham” acompanha três gerações de moradores de Framingham, em Massachusetts, nos Estados Unidos.

De acordo com a pesquisa, uma pessoa é 57% mais propensa a se tornar obesa se tiver alguém muito acima do peso como amiga. O impacto é maior se as duas forem do mesmo gênero e se a ligação emocional entre elas for grande.

Redes sociais também influenciam

Outro experimento envolvendo 700 mil usuários do Facebook constatou que, além de hábitos, também é possível contagiar sentimentos. Os internautas que foram expostos a mensagens positivas se mostraram mais propensos a postar fotos e legendas positivas.

Por outro lado, os que passaram a ver mais postagens negativas aumentaram as suas publicações associadas a emoções ruins. Isso sugere que os sentimentos podem se espalhar por nossas redes sociais, mesmo que não haja interação face a face.

Seja seletivo(a)

A Bíblia Sagrada, há muitos séculos, já alertou sobre o perigo e a influência das amizades:

Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes.

1 Coríntios 15:33

Agora, a ciência também traz números que afirmam que elas podem favorecer uma saúde ruim. Contudo, os problemas podem se estender a péssimos relacionamentos, problemas no casamento e vida espiritual declinante.

Entenda que não é possível ter um amigo sem investimento de tempo, atenção e agrados. E se aquela pessoa tem comportamentos negativos, você estará investindo tempo em coisas que vão atrapalhar sua vida.

“Se afaste daqueles que querem que você perca suas virtudes e princípios. Ame todo mundo. [Mas] escolha bem os seus amigos”, recomenda o Bispo Renato Cardoso.

Talvez o primeiro passo para que você tenha um ano diferente seja selecionar suas amizades. “Começando no seu Facebook e continuando até seu trabalho, velhos amigos, igreja, e até familiares — faça uma limpeza geral. Quem soma, fica. Quem diminui, sai. Sem dó. A dura verdade é que há pessoas que são boas se ficarem bem longe de nós”, acrescenta o Bispo.


  • Rafaella Rizzo / Foto: Getty Images 


reportar erro