Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 13 de dezembro de 2018 - 13:54


“Sofri um abuso sexual e minha família não acreditou em mim”

No A Escola do Amor Responde desta semana, os professores Renato e Cristiane Cardoso orientam a aluna Carol. Recentemente, ela sofreu uma violência sexual por parte de seu cunhado, mas sua família não acreditou em sua palavra. Ela diz que também queria ter mais atenção do seu noivo, que prefere se dedicar a seus compromissos a estar do lado dela. Acompanhe abaixo as recomendações que os palestrantes dão para a aluna.
Carol – Recentemente, o marido da minha irmã abusou de mim sexualmente. Contei para meus familiares, mas eles não acreditaram em mim e fui expulsa de casa. No momento, a única coisa que quero é um pouco de atenção por parte do meu noivo, mas ele prefere fazer mil e uma coisas a ficar comigo. Estou abalada e meu noivo me ajuda muito espiritualmente, mas parece que todo o resto é muito mais importante para ele do que eu. Tenho um período curto para sair de casa, mas não tenho para onde ir e parece que também não tenho apoio do meu noivo. O que devo fazer?
Renato – A primeira coisa que eu preciso perguntar a você é se reportou essa violência sexual que sofreu para a polícia. Isso foi um crime. Apesar de sua família não ter acreditado em você, você não deve ficar calada. Procure uma amiga, alguém em quem você confie, talvez uma pessoa do seu trabalho ou do seu círculo de amizades e vá com essa pessoa a uma delegacia. Reporte o que aconteceu com você. Não se importe com o que possa acontecer ou com o que a sua família vai achar ou deixar de achar.
Você não deve se preocupar com as atitudes dos seus familiares, mas com o que é justo e correto. Não sabemos se as autoridades vão fazer alguma coisa, mas você tem que fazer a sua parte e não pode ficar calada e sofrendo com o que aconteceu.
Outro ponto: você diz que seu noivo prefere fazer muitas coisas a ficar com você. Eu não sei por que ele faz isso – se é por causa do trabalho ou se ele tem muitos compromissos –, mas, se você está carente de atenção, a melhor maneira é não cobrar essa atenção dele. Você não deve ficar dependente da atenção do seu noivo para ser uma pessoa feliz. Você precisa primeiramente buscar sua independência e acabar com
essa sua carência.
Cristiane – Você acabou de passar por uma situação terrível de violência sexual. Pode ser que ninguém compreenda o momento que você está vivendo. Seu noivo até pode dar atenção a você e ficar do seu lado, mas ele não vai poder resolver o que aconteceu e as consequências dessa situação pela qual você passou.
É nessas horas que nós temos que buscar força em Deus, uma força que vem do nosso interior. Quando você busca força exterior – das pessoas ao seu redor – vai até conseguir um pouquinho de alívio, mas isso não resolverá o seu problema, que está no seu íntimo. Nesse lugar só Deus pode chegar. É por isso que você, Carol, tem que buscar em Deus essa força e essa atenção que tanto deseja.
Deus está ao nosso lado o tempo todo, mas Ele não obriga você a “olhar” para Ele. Deus espera que você busque a atenção dEle.
Renato – Quero fazer um convite a você, Carol: se case com Deus. Essa é a primeira coisa que você precisa fazer. Quando tiver essa aliança com Ele, tudo vai se encaixar em sua vida, ficar no seu devido lugar, inclusive as questões que envolvem seu noivo. Se ele não for a pessoa certa para você, então, Deus com certeza vai colocar alguém melhor no seu caminho.
Se você fizer isso, será uma pessoa independente, vencerá essa carência emocional e será curada desse abuso que sofreu. Nas palestras da Terapia do Amor você poderá aprender como fazer isso.


  • Camila Dantas / Foto: Fotolia  


reportar erro