Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 20 de janeiro de 2020 - 13:32


Site inventa que Universal está montando ‘exército de PMs’

Assistência religiosa a militares existe desde 1858 no Brasil, e está prevista na Constituição Federal

Já está na Internet a mais nova campanha sórdida contra a Igreja Universal do Reino de Deus, de autoria de um decadente portal que simula fazer jornalismo, enquanto promove a ideologia política que defende.

Neste domingo (19), o portal Fórum publicou um texto com o título “Exclusivo: Igreja Universal cria seu exército particular com ‘recrutamento’ de PMs”. O responsável por esse assombro enganoso e calunioso conseguiu a façanha de contar três mentiras em apenas 11 palavras. Deve ser um tipo de recorde.

De saída, a informação que o site chama de “exclusiva”, é completamente pública e objeto de muita alegria para a Universal e seus 10 milhões de fiéis e simpatizantes no Brasil e nos demais 128 países onde está presente.

A Assistência Religiosa aos militares, ou capelania, não tem nada de novo, nem escandaloso. No Brasil, existe desde 1858  — durante muito tempo foi uma exclusividade da Igreja Católica — e está prevista na Constituição Federal, no inciso VII do artigo 5º, sendo exercida por inúmeras religiões e igrejas. O objetivo da Universal também é claro: levar auxílio espiritual aos regimentos militares.

A Universal nas Forças Policiais (UFP) é um serviço de capelania que, além da assistência religiosa, desenvolve ações humanitárias e de apoio dos militares de todas as forças armadas e outros agentes de segurança pública, como palestras sobre corrupção ou eventos de confraternização.

Mentira velha

A segunda mentira do título vem exatamente na afirmação de que a UFP seria um “exército particular” da Universal. Aliás, esse site nem é criativo para mentir, pois repete uma “denúncia” de 2015, que surgiu de uma fake news (notícia falsa, em inglês) espalhada pelo ex-deputado Jean Willys contra os “Gladiadores do Altar” — um programa de ensino religioso de formação de jovens vocacionados para o trabalho pastoral.

O tempo e a Justiça enterraram a acusação irresponsável do ex-parlamentar, de que a Universal estaria montando um “exército de jovens” para atacar adeptos de outras denominações religiosas.  Como sempre, a Imprensa que embarcou na mentira não teve a decência de divulgar o que autoridades concluíram: não há nada de errado com a iniciativa da Universal.

Por fim, o título da reportagem publicada neste domingo afirma que a Universal estaria “recrutando PMs”. Na verdade, se o autor do texto pesquisasse melhor, descobriria que a Universal não está procurando ajudar apenas os PMs, mas também os soldados das forças armadas, policiais civis e rodoviários, bombeiros, guardas civis e agentes penitenciários.

Aliás, já em 2018, a convite do então Ministério da Segurança Pública, a Universal participou da “Mobilização pela Segurança Pública e Comunitária” organizada pelo Governo Federal. Um dos objetivos da iniciativa era exatamente a oferta de assistência espiritual e humanitária aos policiais e seus familiares.

Serão tomadas as providências legais cabíveis contra os autores dessa absurda mentira, que tem como objetivos atacar a fé cristã e fomentar o ódio contra a Universal, seu corpo eclesiástico e adeptos.

UNIcom – Departamento de Comunicação Social e de Relações Institucionais da Universal


  • UNIcom / Foto: Cedida 


reportar erro