Rede aleluia
Sistema de reconhecimento de tosse será usado no combate à COVID-19
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 13 de julho de 2020 - 14:38


Sistema de reconhecimento de tosse será usado no combate à COVID-19

Projeto do Instituto Butantan em parceria com a Fiocruz fará a coleta de áudios da tosse de voluntários para criar novo método de diagnóstico

Sistema de reconhecimento de tosse será usado no combate à COVID-19

O Instituto Butantan e a Fiocruz deram início ao desenvolvimento de uma ferramenta de apoio para o diagnóstico à distância da COVID-19 e de outras doenças pulmonares por meio de um sistema de reconhecimento de tosse.

A primeira fase consistirá na coleta de áudios da tosse de voluntários, que serão utilizados para “treinar” um modelo baseado em inteligência artificial desenvolvido pela Intel. Serão coletadas, pelo menos, 900 amostras, sendo 300 de indivíduos saudáveis, 300 pessoas com exames positivos para COVID-19 e 300 voluntários com outras doenças pulmonares.

O diretor do Instituto Butantan e membro do Comitê de Saúde do Estado de São Paulo Dimas Tadeu Covas classifica a iniciativa como inovadora. Ele destaca a importância da incorporação da inteligência artificial (IA) como ferramenta auxiliar de diagnóstico. “Na pandemia, a IA é mais uma forma de ampliar o acesso da população à saúde. Ao mesmo tempo, a ferramenta aumentará a rastreabilidade de infectados.”

Os interessados que tiverem mais de 18 anos já podem participar e ajudar na otimização da ferramenta virtualmente e de forma anônima. Isso, por meio do portal SoundCov. O voluntário precisa gravar um áudio da sua tosse, de 30 a 60 segundos, pelo celular. Então, responder uma pesquisa com alguns dados clínicos e da sua saúde atual, para que o sistema tenha mais informações na coleta de dados.

Na segunda fase, com as amostras, a previsão é que o serviço fique à disposição em 30 dias.


Sistema de reconhecimento de tosse será usado no combate à COVID-19
  • Do R7 / Foto: Getty Images 


reportar erro