Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 13 de dezembro de 2019 - 10:56


2020 e o Sinai

Seus sonhos de Ano Novo no monte de Deus

Mais um ano está chegando ao fim e, como de praxe, as pessoas começam a traçar planos para o novo ano que se aproxima.

Contudo, mais importante do que pensar em novos projetos para 2020 é fazer um balanço de 2019. Certamente, no ano anterior você também projetou muitas coisas, não é mesmo?

Quantos desses projetos você concluiu? Quantos você abandonou pelo caminho ou desistiu sem, nem sequer, ter iniciado?

Essas perguntas são primordiais para que você não repita os mesmos erros e termine 2020 tal qual está terminando 2019: frustrado (a).

Talvez, você tenha iniciado o ano cheio de expectativas e sonhos, mas, agora, na reta final, você se dá conta que os meses passaram e você não fez nada para torná-lo diferente de todos os outros. Sua vida permanece exatamente igual ou até pior do que nos anos anteriores.

Era assim também com o povo de Israel, quando vivia escravizado no Egito. Entrava ano e saía ano, e o sofrimento deles só aumentava. Eles até tinham fé que um dia aquele martírio acabaria, afinal de contas, eles criam em Deus e, portanto, que a promessa de livramento se cumpriria um dia.

No entanto, o que eles demoraram 430 anos para entender é que para que Deus pudesse Se manifestar e cumprir a Sua promessa de livramento, era preciso que todos abandonassem o conformismo e a resignação, e manifestassem uma revolta contra a situação na qual viviam, por meio de uma atitude de fé.

Felizmente, isso aconteceu. Eles clamaram a Deus, creram quando Ele apareceu para Moisés no Sinai, obedeceram a Sua voz e sacrificaram no Monte. Assim, o que seria o ano 431 de sofrimento foi completamente diferente de todos os outros anteriores.

Eles não somente conquistaram a tão sonhada liberdade, como rumaram para a Terra Prometida sob a direção e proteção de Deus.

Se assim como o povo de Israel você quer ver os seus sonhos materializados em sua vida, neste ano de 2020, então, é necessário fazer o que eles fizeram. Crer, obedecer e sacrificar.

Esse é o propósito da Fogueira Santa do Monte Sinai. Levar você a sair desse comodismo e realizar, por meio de uma atitude de fé, os seus sonhos no Monte de Deus, a exemplo do que aconteceu com o casal Romeu e Verônica (Foto à esquerda), e tantos outros.

Apesar de crerem em Deus e estarem dentro da igreja, eles viveram por mais de 10 anos escravizados pelas dívidas, vivendo de aparência. Mas a partir do momento que materializaram a fé, por meio de uma entrega verdadeira, a vida deles mudou da água para o vinho.

Assista ao Programa Entrelinhas, exibido no último domingo (8), pelo Univer Vídeo, e tire suas próprias conclusões.


  • Jeane Vidal / Foto: Getty Images 


reportar erro