Rede aleluia
Selfies no velório do Gugu: o ápice do desrespeito
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 2 de dezembro de 2019 - 12:55


Selfies no velório do Gugu: o ápice do desrespeito

Falta de amor ao próximo já alcançou milhões de pessoas

Selfies no velório do Gugu: o ápice do desrespeito

O apresentador Gugu Liberato foi velado entre os dias 28 e 29 de novembro. Para atender aos milhões de fãs, a família decidiu fazer o velório aberto ao público. Infelizmente, o luto de familiares, amigos e verdadeiros fãs não foi respeitado. Centenas de curiosos aproveitaram a oportunidade para conseguir mais uma selfie.

O desrespeito foi tão grande que uma mulher chegou a abordar o filho do apresentador, João Augusto, para pedir uma selfie sorridente com o rapaz. Educado, ele atendeu ao pedido. Entretanto, como pode ser visto na foto acima – e como seria o esperado -, nem ele nem sua mãe, Rose Miriam, estavam confortáveis com a situação.

Além das fotos, foram feitos vídeos e transmissões ao vivo. Qual o nível de falta de respeito e empatia uma pessoa deve ter para interromper um momento de dor e oração em troca de alguns likes?

Respeite a dor alheia

Em artigo, a escritora Núbia Siqueira explica que “em vários momentos da vida nos sentimos mal e pequenos, porém nenhum momento é pior que enfrentar a morte de um ente querido. Sabemos que é o fim de todos, completar a missão e partir, mas, na prática, enfrentar esse dia é muito difícil”.

Assim, é imprescindível que as pessoas ao redor respeitem a dor de quem perdeu um ente querido. “Há casos de tragédias ou mortes súbitas em que o baque é pior para aceitar e superar. E em todos os casos devemos ser solidários para ajudar as pessoas próximas, saber como nos comportar e o que dizer naquele momento”, diz Núbia, em outro trecho.

O caso de Gugu foi um desses, mas centenas de pessoas que foram ao velório não se preocuparam em ajudar ou se comportar com dignidade. Muitos eram apenas curiosos querendo ver de perto o corpo do apresentador. Pior: querendo publicar na internet e compartilhar com os conhecidos fotos e vídeos da dor alheia.

“Para mim, certos comportamentos em velório, revela o nível do adoecimento da sociedade. As pessoas estão perdendo completamente a sensibilidade e a noção”, comentou Núbia, em sua rede social.

Portanto, se você vai a um velório ou enterro, lembre-se: dedique-se em prestar condolências e oferecer conforto de fato. Deixe de pensar apenas em si mesmo por aqueles minutos. Ame ao próximo como gostaria de ser amado nesse momento de dor.

Você pode ler o artigo completo de Núbia Siqueira clicando aqui.


Selfies no velório do Gugu: o ápice do desrespeito
  • Andre Batista / Imagem: Reprodução Internet 


reportar erro