Rede aleluia
Sedentarismo traz prejuízo de 54 bilhões de dólares por ano, diz OMS
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 3 de setembro de 2018 - 03:05


Sedentarismo traz prejuízo de 54 bilhões de dólares por ano, diz OMS

Saiba os benefícios de se praticar exercícios físicos regularmente

Sedentarismo traz prejuízo de 54 bilhões de dólares por ano, diz OMS

A Organização Mundial de Saúde (OMS) apresentou recentemente uma série de dados sobre sedentarismo e a prática de atividade física em todo o mundo. De acordo com a instituição, 1 em cada 4 adultos não faz exercícios; entre os jovens o número é ainda maior: 4 em 5 adolescentes se mantêm sedentários.
O resultado disso é um gasto anual de US$ 54 bilhões em assistência à saúde em todo o mundo. “O sedentarismo é um hábito da vida moderna que deve ser intensamente desencorajado, já que exercício físico é uma arma poderosa na prevenção de diversos tipos de doenças, como câncer, depressão, atua na melhora do humor, na qualidade do sono, no perfil do colesterol”, enumera o doutor Pedro Luiz, endocrinologista pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e do Instituto EndoVitta.
Bem-estar físico e mental
O corretor de imóveis William Jacintho de Oliveira (foto ao lado), de 30 anos, viveu na prática os efeitos positivos da atividade física em sua vida. Aos 27 anos de idade ele já convivia com a obesidade e a pressão alta, o que fez seu coração aumentar de tamanho. Todos os problemas frutos da má alimentação, uso de bebida alcoólica e sedentarismo. “Na época eu pesava 118 quilos, me sentia muito cansado, roncava e tinha dificuldade para respirar. Foi quando o médico disse que precisava começar a fazer exercícios para reverter os problemas no coração”, conta.
Foi então que ele incluiu a prática de natação, corrida e musculação em sua rotina, pelo menos três vezes por semana. Hoje ele comemora a perda de 30 quilos e um corpo bem mais saudável e disposto.
Já a publicitária e produtora de moda Tenessi Oliveira (foto ao lado), de 27 anos, percebeu os benefícios também em seu equilíbrio mental. “Tinha uma péssima resistência física, dificuldade para respirar, fadiga, muita ansiedade e dormia mal. Com a prática de exercícios esses problemas foram sanados, não sofro com mais nenhum deles”, relata.
A jovem também estimula outras pessoas a fazerem o mesmo. “Eu sempre convido meus amigos para meus treinos, principalmente os que são ao ar livre e de graça. Estimulo como posso, afinal o corpo foi feito para estar em movimento”, diz.
Sem desculpas
Falta de tempo, de dinheiro para pagar academia, entre outras coisas são muito citados como motivos que as pessoas dão para não se exercitar com frequência. De acordo com o endocrinologista, é possível optar por pequenos incrementos na atividade física, como subir ou descer escadas em vez de usar elevador e escadas rolantes ou trocar o carro pela bicicleta se a distância for menor do que 3 quilômetros. “Também existem os famosos exercícios HIIT (High Intensity Interval Training), atividades intervaladas de alta intensidade, em que os ganhos costumam ser bem maiores”, informa o especialista.
Veja no vídeo abaixo alguns exemplos dados pelo personal trainer Marcelo Cristófalo de como se exercitar de modo efetivo e em casa:



Agora, só depende de você: deixe a preguiça e desculpas de lado e vá em busca de um estilo de vida mais saudável. Mas para evitar lesões ou qualquer problema, consulte antes um profissional.
Gostou da matéria? Compartilhe com seus amigos nas redes sociais!


Sedentarismo traz prejuízo de 54 bilhões de dólares por ano, diz OMS
  • Por Rafaella Rizzo / Fotos: iStock - Arquivo pessoal 


reportar erro