Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 13 de novembro de 2018 - 00:05


Relacionamento Abusivo: o que fazer?

Qual atitude tomar quando se está em uma relação agressiva?

Cem mil. Esse é o número aproximado de vítimas de relacionamento abusivo que se reportaram ao Ligue 180, atendimento estatal que presta auxílio às mulheres vítimas de violência. Os dados se referem ao primeiro semestre de 2018. E ultrapassa as ligações registradas durante todo o ano de 2014, quando 16.845 buscaram ajuda por meio desse canal.

Já o Ministério dos Direitos Humanos (MDH), registra que, além das denúncias citadas acima, o Ligue 180, ou Central de Atendimento à Mulher, também registrou os seguintes números:

Infelizmente, a maioria das vítimas ainda não denunciou seus agressores. Isso faz as autoridades suspeitarem que o número de mulheres violentadas seja até 70% maior. E o pior: grande parte desses crimes são praticados por cônjuges ou namorados.

Dê um basta no relacionamento abusivo

Muitos se enganam ao dizer que o companheiro vai mudar, que as agressões ocorreram apenas aquela vez ou que ela também é culpada. A verdade é que o abusador é um doente que precisa de ajuda. E ele não vai obter esse auxílio se a vítima relevar as agressões, sejam elas psicológicas ou físicas.

O escritor Renato Cardoso, autor do livro “Casamento Blindado 2.0”, explicou recentemente que quando uma pessoa se encontra em um relacionamento abusivo ela deve se afastar da outra pessoa.“Permanecendo no relacionamento você só vai servir como objeto de consumo daquela pessoa”, orientou o escritor.

Assista ao vídeo abaixo e conheça a opinião completa de Renato Cardoso sobre o assunto.


  • Andre Batista / Imagem: iStock 


reportar erro