Rede aleluia
“Quando eu ouvia a voz do Bispo Macedo, eu sentia nojo”
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 15 de Setembro de 2021 - 17:28


“Quando eu ouvia a voz do Bispo Macedo, eu sentia nojo”

Agressões, frustrações amorosas, medo, depressão. Tudo a levava ao cemitério. Mas ela conheceu o Espírito Santo

“Quando eu ouvia a voz do Bispo Macedo, eu sentia nojo”

A pedagoga Lucileide Timóteo, de 54 anos, não suportava a voz do Bispo Edir Macedo: “eu até queria ouvir a passagem bíblica que ele citava nos programas. Mas, na hora em que ele começava a falar, eu sentia nojo da voz dele”.

Lucileide passou 16 anos casada, mas era infeliz. Havia muitas brigas em seu relacionamento e agressões físicas e verbais. Tanto desgosto levou à separação. Ela buscou, então, a ajuda de entidades. “Os espíritos me disseram: ‘você precisa fazer um trabalho. Caso contrário,
virá um homem e levará você’”. Temerosa, ela obedeceu a voz e levou o “trabalho” a uma cachoeira e a um cemitério. E, ainda frequentando o espiritismo, Lucileide se envolveu em relacionamentos amorosos cheios de brigas e históricos de traições.

DEPRESSÃO E CURA
Ao ser despertada no meio de uma noite, Lucileide perdeu o fôlego. Ela tentava respirar, mas era muito difícil. Desesperada, foi ao médico e recebeu o diagnóstico: estava com uma grave depressão. Muito triste, no caminho de volta para casa, ela ligou o rádio e, em vez de uma música, estava a voz do Bispo Macedo. “Ele disse: ‘se você estiver dirigindo, pare seu carro e faça uma oração comigo’.” Lucileide diz que, naquele momento, o Bispo explicou que o perdão não é um sentimento, mas uma decisão, e pediu a quem lhe ouvia que dissesse o nome de alguém que lhe causava mágoas. “Eu me senti leve naquele momento por abrir meu coração ao perdão”, recorda Lucileide.

Ela passou a frequentar a Universal, aprendeu a ter um relacionamento com Deus e recebeu o Espírito Santo. “Eu me aproximei do Altar e fechei meus olhos. Naquele momento, recebi a Presença de Deus. Hoje minha vida é transformada em todas as áreas”, conclui.


“Quando eu ouvia a voz do Bispo Macedo, eu sentia nojo”
  • Kaline Tascin / Foto: Reprodução 


reportar erro