Rede aleluia
Projeto reúne profissionais voluntários para ajudar pessoas com depressão no RS
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 29 de setembro de 2020 - 13:35


Projeto reúne profissionais voluntários para ajudar pessoas com depressão no RS

"Stop Depression" também realizada campanhas de prevenção ao suicídio no Estado

Projeto reúne profissionais voluntários para ajudar pessoas com depressão no RS

Com foco em dar apoio emocional e espiritual para as pessoas que sofrem de depressão, o projeto Stop Depression, da Universal, já ajudou 1.532 pessoas este ano no Rio Grande do Sul. As ações, realizadas desde 2019 no Estado, ganharam reforço durante o Setembro Amarelo, quando são desencadeadas campanhas de prevenção ao suicídio. Os voluntários realizam semanalmente trabalhos em diversos locais, como sinaleiras e passarelas.

Coordenador do projeto no RS, pastor Assuéro Benjamim explicou que o projeto surgiu com base na história de vida da médica Eunice Higuchi, autora do livro “Eu venci a depressão”, em que conta como superou o momento difícil. “A depressão tem sido a vilã do século que estamos vivendo. Infelizmente no RS a gente percebe maior taxa de suicídio do Brasil decorrente da depressão”, observou. Ele reforça que o projeto SOS Vida, que disponibiliza contato via WhatsApp, está ajudando muita gente. “Muita gente carrega a depressão e muitos seguem sem saber o que é. Só quem passa sabe o que é”, afirmou.

Cartas são deixadas em pontos estratégicos da cidade

Benjamim destacou que o grupo percorre alguns locais das cidades, como passarelas, onde deixam bilhetes com mensagens de ajuda pendurados. “Nesses locais sabemos que ocorrem muitos suicídios. Deixamos cartas escritas com mensagem de que existe uma nova chance”, assinala. Ele explica que o projeto atende todo Estado. “Elas têm contato diretamente com pessoas que passaram pelo que elas passaram. Uma coisa é a gente falar de alguma coisa que não passou, mas o grupo é formado por pessoas que venceram a depressão”, frisou.

Conforme Benjamim, o projeto, que é gratuito, conta com psicólogos e médicos. Em muitos casos, os voluntários vão às residências para ajudar quem pede por auxílio. “É gratuito, simplesmente ajudamos. A gente sabe o que é depressão, muita gente diz que depressão é frescura, falta de trabalho, mas não é”, reforçou. Ele salientou que em setembro, o SOS Vida – que disponibiliza o contato de WhatsApp 98598-3447 – intensificou as ações. “Depressão não tem idade, não tem profissão”, completou.


Projeto reúne profissionais voluntários para ajudar pessoas com depressão no RS
  • Felipe Samuel - Jornal Correio do Povo / Foto: Kaisse Cristina / Divulgação / Especial / CP 


reportar erro