Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 10 de setembro de 2019 - 12:51


Projeto Consolador Desaparecidos leva fé aos familiares

O objetivo é alcançar todos os que têm na família alguém desaparecido e estejam passando por essa dor. Veja como foi a ação com o grupo Mães da Sé

Mais forte do que a dor pela morte de um ente querido é a de não saber onde ele está. De 2007 a 2017, de acordo com dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 786 mil pessoas desapareceram no Brasil. Esse é um drama que acompanha milhares de pessoas que, muitas vezes, passam décadas sem notícias do paradeiro de seu familiar.

Com o intuito de dar apoio às famílias de pessoas desaparecidas, o grupo Consolador – um dos braços da Evangelização da Universal – deu início ao projeto Consolador Desaparecidos. No dia 18 de agosto, os voluntários do projeto realizaram uma ação com a Associação Brasileira de Busca e Defesa a Crianças Desaparecidas (ABCD), conhecida como Mães da Sé.

“O Consolador é um projeto que já existe para assistir famílias em momentos de luto, nos velórios e cemitérios, e durante acontecimentos trágicos. Porém percebemos que ter alguém que amamos desaparecido acaba sendo um luto interminável. Por isso, enxergamos a necessidade de criar um projeto especializado para ajudar essas pessoas. O objetivo é alcançar todos os que têm na família alguém desaparecido e estejam passando por essa dor”, comentou o Pastor Renê Moraes Pereira, responsável pelo grupo Consolador em São Paulo.

Ação com o Mães da Sé
Na ação com o Mães da Sé, evangelistas do grupo Consolador levaram mensagens de fé e realizaram orações pelas famílias. O encontro aconteceu no local em que o grupo de mães, que luta para encontrar os filhos desaparecidos, se encontra mensalmente: a Praça da Sé, marco zero da capital paulista. Todo mês elas se reúnem e levam cartazes com fotos dos desaparecidos na esperança de reencontrar seus entes queridos.

desaparecidos, brasil, consolador

Segundo Ivanise Esperidião, fundadora e presidente da associação, esse acolhimento é muito importante para o grupo. Ela também está em busca da filha desaparecida há 24 anos. “Somos muito gratas a todo o acolhimento que recebemos dos voluntários. Eu acredito que essa nova parceria que está nascendo com a Universal é um plano de Deus em nossas vidas. E creio que muitas pessoas serão encontradas.”

A ação do Espírito Consolador
O projeto Consolador Desaparecidos atuará semanalmente com os grupos e associações e nas ações que são realizadas nas ruas por essas instituições. E também fará visitas nas residências de famílias – que já estão sendo cadastradas pelos voluntários.

“Ouvir, compartilhar a dor e transmitir a fé e a ação do Espírito Consolador fazem toda a diferença neste momento. O contato com o Mães da Sé foi muito proveitoso. Percebemos que a mensagem que levamos e o fato de estarmos ali fortaleceram e confortaram muitas delas.

Por enfrentarem umas das mais cruéis sensações, que é a dúvida, a fé faz toda diferença. A fé é a arma que neutraliza a dúvida”, concluiu o Pastor Renê.

Se você se interessou em ser um voluntário nesse ou em outros projetos, acesse universal.org e se informe.


  • Michele Roza / Fotos: Cedidas 


reportar erro