Rede aleluia
De que adianta salvar o mundo todo e perder a própria alma?
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 2 de Setembro de 2017 - 03:05


De que adianta salvar o mundo todo e perder a própria alma?

Entenda por que é necessário, primeiramente, garantir a própria Salvação

De que adianta salvar o mundo todo e perder a própria alma?

A Bíblia é clara em sua orientação:

Buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas Mateus 6.33

Mesmo assim, muitas pessoas chegam a Ele preocupadas com as dívidas, os filhos, o casamento, os parentes, etc. Não é errado procurar por Deus quando se tem problemas – ao contrário, é o recomendável –, mas, antes de qualquer coisa, é preciso entender que o mais importante é buscar o Reino dEle.

O bispo Renato Cardoso, durante reunião realizada no Templo de Salomão, usou a passagem bíblica citada acima para explicar às pessoas que elas podem orar por seus parentes e amigos que estão em pecado, mas, primeiramente, devem garantir a própria Salvação.

De acordo com o bispo, se você ora entregando a vida de alguém a Deus, mas não entregou antes a sua própria vida, então é claro que essa oração não vai funcionar.

“Como você pode entregar a vida de outra pessoa para Deus se você ainda não entregou a sua? Não faz sentido isso. É como você tentar salvar uma pessoa que está se afogando e você não sabe nadar. Essa pessoa vai se afogar e você também, junto com ela.”

Deus trabalha de forma inteligente

Se alguém ainda não estabeleceu um relacionamento verdadeiro com Deus e abandonou o pecado para viver em Sua Graça, então essa pessoa não é capaz de orar por outra ou ajudá-la a vencer os seus obstáculos, sejam eles os vícios, as dificuldades financeiras, o temperamento descontrolado ou qualquer outro.

“Você tem que entender a maneira que Deus trabalha, que é de uma forma inteligente. Deus trabalha assim: primeiro eu, depois as outras pessoas. Isso soa egoísta, mas não é. É inteligente”, afirma o bispo.

Ele lembra que o Senhor Jesus alertou:

Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma? Marcos 8.36

Nada. Esse seria o homem mais tolo que existe.

Por isso Deus trabalha de maneira a primeiro salvar aquele que O procura, para depois salvar quem é citado nas orações ou resolver problemas mundanos de alguém. O bispo afirma: “Muitos de vocês vêm aqui em busca de soluções para os seus problemas, mas você nunca se entregou para Deus. Você não reconhece que está perdido.”

Se você está passando por dificuldades para resolver um problema em sua casa, por exemplo, primeiro coloque a fé em ação para enxergar como você pode melhorar. Somente depois busque ajuda para os outros.

“Primeiro Deus salva a pessoa. Depois que a pessoa está salva, ela então pode estender a mão ao que está perdido e salvar o que está perdido. É assim que Deus trabalha.”

Tem alguma dúvida sobre a melhor maneira de agir em alguma situação? Converse agora mesmo com um Pastor Online. Ele está pronto para lhe orientar no que for necessário.


De que adianta salvar o mundo todo e perder a própria alma?
  • Por Andre Batista / Imagem: Thinkstock 


reportar erro