Rede aleluia

Notícias | 20 de março de 2018 - 03:05


Pornografia é risco para a saúde pública, decreta Flórida

Deputados dos EUA estão preocupados com esse vício e seus males

Pornografia é um risco para a saúde pública. Isso é o que afirma a resolução aprovada pela Câmara dos Deputados da Flórida (Estados Unidos da América). Conforme estudos e debates organizados pela casa, concluíram que é necessária uma mudança urgente em relação à atitude tomada diante da pornografia.

“Nossa pesquisa encontrou uma correlação entre pornografia e os seguintes problemas: doenças mentais e físicas, dificuldade para formar e manter relacionamentos íntimos, desenvolvimento cerebral e função cognitiva insalubre e comportamento sexual depravado, problemático ou perigoso”, afirmou o deputado Ross Spano.

A partir de agora, o estado da Flórida se compromete a aumentar os estudos sobre a pornografia e desenvolver e melhorar políticas de educação e conscientização a esse respeito, tudo visando proteger os habitantes da Flórida.

Além das fronteiras da Flórida

A Flórida é o primeiro estado norte-americano a declarar oficialmente que a pornografia é um problema de saúde pública, mas não é o único estado a sofrer com esse mal. Do outro lado dos EUA, em Michigan, uma das personalidades mais amadas do país declarou há alguns meses:

“Por anos e anos e anos meu segredinho sujo foi ser viciado em pornografia. Eu acredito que isso é um problema mundial, mas a pornografia realmente atrapalhou a minha vida de diversas maneiras.”

A declaração foi realizada pelo ator Terry Crews, famoso por participações em filmes como “Click”, “Norbit” e “Os Mercenários” e, no Brasil, mais conhecido como Julius, o pai do Chris, do seriado “Todo Mundo Odeia o Chris”, exibido pela RecordTV. Conforme contou Crews, a pornografia o fez se tornar uma pessoa problemática e quase destruiu sua família:

“Era um problema que eu não contava para ninguém. Minha esposa literalmente disse que não me conhecia mais, que ia embora de casa. Isso me mudou. Eu tive que mudar porque eu percebi que isso era um problema muito, muito grande. Eu tive mesmo que ir à reabilitação. E o que eu descobri é que manter em segredo torna o vício mais poderoso”.

De acordo com Crews, a pornografia “muda a maneira como você vê as pessoas. As pessoas se tornam objetos, elas se tornam partes de corpos, elas se tornam coisas para serem usadas ao invés de se tornarem pessoas para serem amadas. Hoje, Crews afirma que não se rende ao vício há 9 anos.

Vício destruidor

O psiquiatra e psicanalista da Universidade de Yale (EUA) Dr. Jeffrey Satinover publicou recentemente um artigo em que compara a ação da pornografia a da cocaína no cérebro. De acordo com ele, ambos os vícios são destrutivos, alterando as mesmas funções cerebrais e desenvolvendo sintomas semelhantes. A diferença é que a cocaína é algo combatido por quase todos os Governos do mundo, enquanto a pornografia é menosprezada enquanto vício destruidor de pessoas.

“O primeiro passo para um viciado se libertar é reconhecer que está preso ao vício”, esclarece o escritor Renato Cardoso, criador do Projeto Intellimen, que visa orientar homens a se tornarem pessoas melhores. De acordo com ele, a pornografia é um vício grave e precisa ser combatido como tal pelo viciado, antes que sua vida seja destruída.

Em seu programa de televisão, “The Love School – Escola do Amor”, exibido pela Record TV e que você pode assistir clicando aqui, Renato convidou um dos inúmeros casais que sofreram com a pornografia dentro de casa: Marcos e Sônia Simão.

Os dois estavam casados havia dez anos quando Marcos começou a assistir e logo se tornou um viciado em pornografia online. Ao descobrir, Sônia pediu para que ele se livrasse daquele hábito. Foi inútil.

“Eu me senti a pior das mulheres, eu me senti um lixo. Porque eu estaria sendo trocada por uma tela de uma TV, por um computador”, relembra a moça.

Ela deu duas oportunidades para que ele parasse de buscar aqueles filmes. Na terceira vez em que o flagrou, decidiu: ia embora de casa.

“Ela me via como uma pessoa suja, a mesma coisa que um adultério”, conta Marcos.

Sônia afirma que, quando os dois estavam juntos na cama, ela “ficava pensando: ele está tendo prazer comigo ou ele está pensando naquela mulher que ele viu na pornografia?”. Essa angústia foi demais para ela e o ultimato foi dado. Ali Marcos percebeu a gravidade de suas ações e, pensando em sua esposa e em seu filho, buscou ajuda para se libertar.

Se o primeiro passo para se libertar de um vício é reconhecer a dependência, o segundo é buscar ajuda. Terry Crews buscou, Marcos Simão também (esse último na Terapia do Amor, da Universal) e, se você é um viciado em pornografia, também deve buscar ajuda.

“Precisa conversar? Nós ouvimos você”

Caso queira conversar com um pastor da Universal para orientações, porém não se sente seguro ainda e, portanto, não quer se identificar, acesse o Pastor Online, clicando aqui, um trabalho de atendimento voluntário totalmente gratuito de apoio emocional e espiritual. Todas as conversas são mantidas sob total sigilo. Acesse agora mesmo.


  • Por Andre Batista / Imagem: Thinkstock 


reportar erro