Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 1 de julho de 2018 - 03:05


Por que é importante ter uma boa noite de sono?

56% da população brasileira não tem horário fixo para dormir

Mesmo com o padrão atual de vida agitada, dormir bem ainda é um princípio fundamental para a regeneração das funções do cérebro. O córtex pré-frontal, que é a área do cérebro associada ao planejamento dos comportamentos e à expressão da personalidade, permanece mais ativo nas pessoas descansadas, o que torna o sono essencial para o bom funcionamento da mente.

Dormir bem também ajuda a prevenir doenças crônicas, melhorar o metabolismo e evitar distúrbios do sono. Segundo o neurologista Fábio Porto, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP), um bom descanso é algo fundamental para o ser humano se manter vivo. “Não devemos pensar no sono como um luxo, mas como algo que faz parte da nossa vida.”

A empresa holandesa Royal Philips realizou uma pesquisa sobre problemas do sono, no primeiro trimestre de 2018, em 13 países, incluindo o Brasil. Segundo o levantamento, para 68% dos brasileiros o sono é um hábito capaz de afetar a saúde geral e o bem-estar. No entanto, só 44% da população tem horário fixo para dormir.

Entre os motivos que impactam o descanso dos brasileiros estão os distúrbios do sono, preocupações financeiras e de trabalho – os dois últimos encabeçam a lista no caso dos habitantes da América Latina. Outro fator é a hiperconectividade com os celulares e redes sociais, que afeta 75% da população.

Para o neurologista, hábitos errados são os grandes causadores da insônia. É a falta de higiene do sono. “A higiene se traduz em um conjunto de hábitos saudáveis que favorecem o sono”, explica.

Fábio diz que não existe receita para uma boa noite de sono. “Tudo depende da necessidade. Se você conseguir dormir quatro horas por dia e acordar sem sono no dia seguinte, ok. Mas, na maioria dos casos, isso não acontece.”

Em média, as pessoas jovens e adultas dormem entre sete e oito horas. Pessoas com mais de 60 anos dormem em média cinco a seis horas.

Consequências

Dormir mal é o gatilho para diversas doenças: pressão alta, ansiedade, infarto, derrame, doenças cardíacas, diabetes, envelhecimento precoce e dificuldade de concentração.

A privação de sono gera ganho de peso, risco de osteoporose e fraturas. Nossa capacidade de memória também é afetada. A insônia pode ser ainda sintoma de outras doenças, como depressão e alterações da tireoide.

Confira as dicas do neurologista.

Como dormir melhor e ter uma boa higiene de sono?

  • Crie o hábito de dormir e acordar sempre no mesmo horário
  • Evite sonecas de mais de 45 minutos durante o dia
  • Evite o consumo de bebidas estimulantes após às 18 horas, tais como café, chá-preto, chá mate, refrigerantes de cola ou guaraná
  • Pratique esportes, mas pare de fazer exercícios pelo menos 3 horas antes de dormir
  • Evite a proximidade com eletrônicos e celulares duas horas antes de dormir
  • Mantenha a tela do celular desligada, estes têm um espectro de luz azul que inibe a melatonina (hormônio do sono)
  • O quarto deve ser aconchegante, tranquilo e escuro
  • Evite o consumo de comidas pesadas e gordurosas antes de dormir

Fonte: Fábio Porto, Neurologista do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP)


  • Por Katherine Rivas / Arte: Eder Santos 


reportar erro