Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 19 de setembro de 2019 - 12:45


Pensamentos de morte martelavam sua mente 24 horas por dia

Mas, uma simples mensagem mudou tudo. Conheça a história do economista Samir Ciriaco

O economista Samir Ciriaco, de 41 anos, teve uma infância difícil. Segundo conta, ele veio de uma família pobre e sem nenhuma perspectiva de vida. Na adolescência, as baladas faziam parte do seu cotidiano, mas nada disso era capaz de amenizar a dor que sentia na alma.

“Quando eu parava no meu quarto e olhava à minha volta, constatava que não tinha nada”, lamenta.

Aos 18 anos, Samir era um jovem depressivo, com um único pensamento: o de dar cabo da própria vida.

No entanto, ao passar em cima de uma ponte – da qual planejava se jogar -, ele avistou, de longe, uma fachada com os seguintes dizeres: “Pare de sofrer!”

Leia também:

De todas as dores, a pior é a da alma

A partir daí, ela não saiu mais de sua cabeça. “Ao mesmo tempo que na minha mente martelava, 24 horas por dia, o pensamento de dar cabo da minha vida, esse ‘pare de sofrer’ também ficou na minha cabeça”, relembra.

Então, ele resolveu ir até lá, só aí percebeu que se tratava de uma Igreja Universal.

“Naquele lugar tinha paz, algo que eu nunca tive e, à medida que eu comecei a buscar a Deus, toda aquela tristeza foi sumindo”, destaca.

Assista ao depoimento e veja como está a vida dele hoje:

Se assim como o Samir, você reconhece que também se deixou levar pelas fake news e, por isso, nunca colocou os pés numa Universal, faça como ele: participe de uma de nossas reuniões e tire suas próprias conclusões.

As reuniões acontecem, diariamente, em diversos horários. Consulte aqui uma Universal mais próxima de você.


  • Jeane Vidal / Foto: Reprodução 


reportar erro