Rede aleluia

Notícias | 16 de julho de 2019 - 12:59


Os três amores que devem existir num namoro

Sem que eles estejam em perfeita ordem, se tona difícil manter um relacionamento feliz. Saiba quais são eles

Quem não deseja ser amado por alguém? Quem não deseja ter aquela pessoa com quem compartilhar a vida, sonhos e objetivos? O amor e o desejo de amar fazem parte da vida de quase todas as pessoas.

Todavia, o que muitos não sabem é que há três tipos de amores. Isso mesmo: não basta amar uma pessoa, você precisa ter três amores para desfrutar de uma vida amorosa realmente completa. Além do mais, esses três amores possuem uma ordem correta e, sobretudo, devem estar bem resolvidos em um relacionamento.

Os três amores

O casal Renato e Cristiane Cardoso, em seu livro Namoro Blindado, aconselha que há uma ordem correta para um namoro. Para o casal, todos deveriam ter três amores. Isto é, em primeiro lugar o amor a Deus; em seguida, o amor próprio e, em terceiro lugar, o amor pela outra pessoa.

O amor a Deus

“Mestre, qual é o grande mandamento na lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.” Mateus 22:36,37

É esse relacionamento com Deus que vai nortear o namoro, por isso, é fundamental que, antes de entrar em um relacionamento com outra pessoa, você já esteja próximo dEle.

“Por ignorarem isso, muitos não conseguem fazer uma boa escolha da pessoa para namorar ou acabam perdendo a pessoa amada”, destacou Cristiane.

Além disso, ter um relacionamento com Deus – antes de ter um relacionamento com alguém – também pode causar grandes transformações. “O fato de as pessoas que conhecem a Jesus, o que chamamos de primeiro relacionamento, passarem por tamanha transformação, é prova de que Ele é real e Suas palavras são verdadeiras”, ensinou Renato Cardoso.

O amor próprio

Cristiane pontua que o amor próprio vai muito além de apenas se arrumar, se cuidar ou investir em si mesmo. “Um bom relacionamento consigo mesmo começa quando toma consciência de quem você é. Não é uma tarefa fácil, porque a pessoa que achamos que somos e nos tornamos, quase sempre foi formada por aquelas pessoas com quem tivemos contato em nossos primeiros anos de vida”, ponderou ela.

Para Renato, o segundo amor ainda é uma consequência do primeiro. “Enfatizamos que o seu primeiro relacionamento é tão importante para ajudá-lo a formar o seu segundo”, acrescentou Renato.

O terceiro amor

Após ter os dois primeiros amores bem resolvidos e nas ordens corretas, então, a pessoa está apta a ter o terceiro amor, que diz respeito à outra pessoa. “Tendo construído um relacionamento com Deus e também consigo mesmo, você terá uma base sólida para construir um relacionamento com alguém, sem errar na escolha, sem colocar tudo a perder dentro do relacionamento”, destacou Renato.

Além do mais, o escritor ainda aconselha que se busque outra pessoa que também possua os três amores na ordem correta. “Depois de tanto trabalho acertando sua própria vida, não vá errar se unindo a alguém que não tem nada de Deus, tampouco uma relação sadia consigo mesmo”, alertou Renato. 

Terapia do Amor

Quer aprender mais sobre relacionamento e vida a dois? Participe da Terapia do Amor, às quintas-feiras, na Universal. Em São Paulo, a palestra acontece no Templo de Salomão, na Avenida Celso Garcia, 605, Brás (zona leste), às 10h, 15h e 20 horas.

O encontro é focado no sucesso da vida amorosa. Nela, os palestrantes conversam, aconselham e dão dicas sobre como você pode se comportar no relacionamento ou enquanto espera pela pessoa amada. O objetivo é levá-lo (a) a ser bem-sucedido (a) nessa área da vida. Encontre aqui o endereço mais perto de você, onde também acontece essa palestra especial.


  • Rafaela Dias / Fotos: Getty Images 


reportar erro