Rede aleluia
O problema de Judá
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 10 de Novembro de 2021 - 19:50


O problema de Judá

"A culpa que Judá carregava não lhe permitia se sentir digno de tanta confiança"

O problema de Judá

É no mínimo curioso que, logo após José ser vendido pelos irmãos, a Bíblia introduz a história de Judá e a conta inteirinha antes mesmo de continuar a relatar o que aconteceu com José no Egito.

Sem contar que ela não fala mais nada sobre os demais irmãos, Diná ou Israel. É como se a história de todos do acampamento estivesse parada, sem direção, enquanto a do único que não aguentou a própria consciência sobre o que fez com José é contada e encurtada tragicamente com a morte de seus dois filhos e esposa.

Mas, por quê?

Porque Judá era sincero. Por mais que seu pai o tivesse escolhido entre os irmãos para “vestir a túnica colorida”, a culpa que Judá carregava não lhe permitia se sentir digno de tanta confiança (bem diferente dos irmãos, que conseguiram conviver com a dor do pai…).

Os irmãos de Judá representam aquelas pessoas que erram e justificam seus erros com o famoso “quem nunca?”.

Quem é sincero não consegue conviver com a culpa de seus erros e, muitas vezes, chega a buscar formas de compensá-la…

Não se compensa a culpa. Só tem um jeito de resolvê-la dentro de você: se arrependendo e confessando a quem de direito.


O problema de Judá
  • BLOG DE GÊNESIS | Do R7 / Foto: DIVULGAÇÃO/RECORD TV 


reportar erro