Rede aleluia
O homem honra o lugar que ocupa
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 25 de Julho de 2021 - 00:05


O homem honra o lugar que ocupa

Seu valor não depende de sua posição hierárquica

O homem honra o lugar que ocupa

De modo geral, os homens são educados para assumir posições de liderança e protagonismo em casa e no trabalho. Isso pode fazer com que alguns se sintam incomodados quando não ocupam o lugar que gostariam.

Alguns que já tiveram posições de liderança e as perderam podem se sentir inferiores ou confusos quanto ao que fazer na carreira, especialmente quando é necessário buscar trabalho em outros cargos. Outros, sob liderança feminina ou de alguém mais jovem, também podem se sentir incomodados ou contrariados quando recebem orientações diferentes de suas opiniões e crenças.

Mas por que esse incômodo, se o valor de um homem não está na posição hierárquica que ocupa? Nem sempre uma posição envolve liderança. Líderes são necessários e, claro, é preciso que haja uma direção a seguir, mas de que adianta que exista a quem seguir sem seguidores? Cada pessoa é importante na função que ocupa, desde a mais simples até a de maior destaque. Além disso, a própria história humana mostra que quem não sabe primeiro obedecer não serve para mandar, pois põe os pés pelas mãos e tudo a perder.

Nenhum time tem sucesso em sua empreitada sem membros confiáveis e integrados. A analogia de peças que formam uma máquina é clichê, mas verdadeira. Se há algo errado com uma delas, o todo tem seu desempenho comprometido e até mesmo para.

Deus, em Sua infinita e incontestável sabedoria, sempre mostra que cada ser humano é importante para Ele, que não olha hierarquia nem faz acepção de pessoas. Ele também mostra que todo papel é essencial. O Senhor Jesus veio para liderar, mas Ele mesmo submetia Sua Vontade à do Pai, como deixou bem claro muitas vezes.

O Próprio Messias afirmou que “na verdade vos digo que aquele que crê em Mim também fará as obras que Eu faço, e as fará maiores do que estas, porque Eu vou para Meu Pai.” (João 14.12). Cada apóstolo que O serviu fielmente teve um papel muito importante para que a Palavra da Salvação chegasse a nós, como chega até hoje por todos os que obedecem aos mandamentos Divinos. Nem de longe podemos nos igualar ao líder nazareno, mas Ele mesmo mostrou a importância de nossas ações, que sejamos luz com nossa vida e exemplo para qualquer um, famoso ou não, com destaque ou não.

Por essas e outras, se um homem deseja uma posição que ainda não conquistou – uma promoção, por exemplo –, em vez de ficar chateado com isso, deve honrar o lugar em que está naquele momento o melhor que puder, pois, se confia em Deus, sabe que o tempo dEle é correto e eficaz. E, mesmo que continue a ocupar a atual função, o homem de honra dá o melhor de si.

A mídia vende que todo homem deve ser um “macho alfa”, o “líder da matilha”. Só que, sem matilha, não há líder, certo? Ele não se faz sozinho. Além disso, devemos desconfiar bastante da mídia que compara o homem a um bicho.

Portanto, saber ser um liderado fiel é tão digno quando ser o líder, pois um papel complementa o outro e todos saem ganhando se a sintonia e a integração são bem-feitas. Em vez de julgar se seu chefe ou patrão é homem ou mulher, mais novo, mais velho, mais ou menos instruído do que você, pare de focar o pensamento nessas coisas pequenas e olhe se ele ou ela tem capacidade de liderar e confie nessa pessoa. E faça o melhor em sua posição, oferecendo confiabilidade, honra e eficácia. É isso que determina quem um dia estará no alto da hierarquia – que, quando chegar sua vez, também precisará de seguidores confiáveis. E é assim que a história continua.


O homem honra o lugar que ocupa
  • Marcelo Rangel / Foto: Getty images 


reportar erro