Rede aleluia

Notícias | 7 de outubro de 2018 - 00:05


O Enem está chegando, e agora?

Entenda o que priorizar no último mês antes da prova

Faltam menos de 30 dias para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que neste ano teve mais de 6 milhões de inscritos. De acordo com o Ministério de Educação, o maior número de participantes está nas regiões Sudeste e Nordeste. Neste ano também houve mais mulheres inscritas. Elas representam 59,1%.
As provas ocorrerão em dois domingos: 4 e 11 de novembro. No primeiro dia, a prova será das 13h30 às 19 horas e avaliará as temáticas Linguagem, Redação e Ciências Humanas. No segundo dia, as provas serão de Ciências da Natureza e Matemática, com término às 18h30. Nos dois dias, os portões serão abertos ao meio-dia e fechados às 13 horas.
Os resultados serão divulgados no 17 de janeiro de 2019. As notas garantirão aos candidatos o acesso a universidades públicas e privadas pelos programas Sistema de Seleção Unificada (Sisu), Programa Universidade para Todos (ProUni) e Financiamento Estudantil (Fies). O exame é também porta de entrada para 32 instituições de ensino superior de Portugal.
Alessandra Venturi, diretora pedagógica do Cursinho da Poli, afirma que neste último mês é primordial que o vestibulando esteja familiarizado com a prova e tenha equilíbrio entre conhecimento, administração de tempo e estado psicológico.
Para que isso aconteça, ela recomenda a prática de simulados. “Eles são fundamentais, porque o vestibulando vai entender se errou por falta de tempo, por nervosismo ou porque desconhece o conteúdo e, então, vai procurar a ajuda de um orientador ou professor”, explica.
Ela destaca que o ritmo de estudo muda com a proximidade da prova. Quanto mais perto do Enem o estudante estiver, mais a revisão de conteúdos deve ser substituída por treinamento de exercícios que priorizam o tempo de resposta.
Segundo Alessandra, é importante fazer um cronograma de estudos para cada disciplina. “Tem aluno que só estuda, outro que estuda e trabalha e tem tempo restrito. Então, avaliem o horário que vão dedicar aos estudos nestas semanas e definam o tempo para cada matéria”, orienta.
Ela reforça que a prática de redação deve ser feita toda semana. Para isso, é importante combinar a leitura, o treinamento e o feedback de algum professor quanto à escrita. “Use temas de provas anteriores para criar um texto argumentativo e dissertativo e procure sempre um orientador que aponte seus erros”, aconselha.
Por fim, ela sugere que os estudantes estejam antenados às questões de discriminação, desigualdade social, juventude, direitos humanos e acontecimentos relevantes do primeiro semestre deste ano.


  • Katherine Rivas / Ilustração: Eder Santos / Foto: iStock 



reportar erro