Rede aleluia
O dia, o lugar e o momento para o Vau de Jaboque
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 18 de Julho de 2021 - 00:05


O dia, o lugar e o momento para o Vau de Jaboque

O dia 11 de julho foi marcado pela transformação que só Deus pode fazer na vida de cada um quando há entrega no Altar. Saiba mais sobre a Fé sacrificial

O dia, o lugar e o momento para o Vau de Jaboque

A manhã de inverno em São Paulo não intimidou quem logo cedo se propôs a buscar a Deus em um domingo especial. Há mais de três semanas, a Fogueira Santa no Vau de Jaboque tem trazido muitos ensinamentos aos presentes às reuniões da Universal. No entanto, foi no dia 11 de julho que, com a preparação e o entendimento espiritual necessários, muitas pessoas desejaram honrar a Deus com suas vidas no Altar. Às 9h30, o Templo de Salomão, situado no bairro do Brás, se tornou ponto de encontro dos que tinham esse objetivo.

Respeitando as normas sanitárias para a contenção do novo coronavírus, famílias, membros e frequentadores participaram da reunião conduzida pelo Bispo Renato Cardoso e puderam renovar ou mesmo fazer uma Aliança com Deus na Santa Ceia da Luta com Deus.

Inicialmente, o Bispo realizou um clamor por todos os que se encontravam aflitos e carregavam alguma dor dentro de si. No decorrer do encontro, ele ensinou lições importantes. “Você sabe que a oportunidade não existe se você não agarrá-la. Se a oportunidade vem até você e você hesita, titubeia, ela passa, e é como se nunca tivesse existido”, disse o Bispo, que acrescentou que “Deus dá oportunidade para as pessoas. O problema é que muitas pessoas não têm a coragem e a atitude de agarrá-la.”.

Ele ainda pontuou que a vida, o mundo e até mesmo a Palavra de Deus nos mostram que há três tipos de pessoas. O primeiro são aquelas que lutam sem Deus, na força do braço, e acabam confiando mais na própria capacidade. Há, também, as que lutam contra Deus e agem do seu próprio modo, embora Ele tente falar com elas. Já o terceiro tipo contempla aquelas que aprenderam a lutar com Deus. Os que lutam sem Deus se assemelham a Esaú, irmão de Jacó, que se achava capaz e que, por isso, pensava que não precisava dEle. Os que lutam contra Deus são como Jacó: “fazem as coisas do jeito que acham melhor, que os fins justificam os meios, que o mundo é dos espertos e, quanto mais esperto for, melhor vai se dar. Existem ainda as que são como Israel, que Jacó se tornou quando teve um encontro com Deus”, disse.

SEJA VOCÊ QUEM FOR
Em Gênesis 28.15, podemos aprender com o que Deus disse a Jacó logo depois que ele saiu de casa como fugitivo ao enganar seu pai, Isaque, e usurpar a bênção da primogenitura do próprio irmão, Esaú: “E eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei tornar a esta terra; porque não te deixarei, até que haja cumprido o que te tenho falado”.

O Bispo pediu para que os presentes pensassem nessas palavras escritas na Bíblia, especialmente aqueles que se sentiam sozinhos. “Deus estava falando para Jacó que não iria deixá-lo até que tivesse cumprido o que tinha lhe falado e Deus está falando isso para você agora. Esse foi o primeiro alívio, a primeira confiança que Deus passou para ele, e essa garantia de Deus superou todos os erros de Jacó.” O Bispo lembrou que Jacó não foi abandonado. “Jacó errou muito, mas Deus não desistiu dele. Se você está aqui hoje, mesmo depois de tantas bobagens, tantas coisas erradas que você fez na vida, Deus lhe trouxe para dizer que Ele não desistiu de você e que estará com você até o fim.”

NOVA IDENTIDADE
Para isso, Deus precisa levar os que se encontram e se reconhecem como Jacó para o Vau de Jaboque e, então, transformá-los em uma nova criatura quando tiverem um encontro com Ele. “Deus quer cumprir a Palavra dEle em sua vida, mas você tem que parar de resistir.

Se você resistir a Deus e insistir no seu próprio modo de pensar, então, tudo o que você vai conseguir de Deus é atraso. Você vai continuar atrasando o plano de Deus na sua vida, como Jacó atrasou o plano de Deus por anos. O que era para ter acontecido mais cedo demorou anos para acontecer e ele passou por perdas e dores de cabeça que não precisava. Mas, quando Deus o levou para o Vau de Jaboque, ele se viu impotente, se esvaziou, se rendeu, se quebrou e começou a lutar com Deus pela bênção e pela mudança do seu interior.” Lutar com Deus significa se aliar a Ele e tê-Lo ao seu lado e também à frente, como o seu Senhor.

QUEM TEME A DEUS, NÃO TEME MAIS NADA
Durante o mês de julho, as reuniões do Encontro com Deus também têm ensinado sobre o espírito de temor, que remete a uma das sete manifestações do Espírito de Deus. Quanto a isso, o Bispo explicou que o maior temor daqueles que conhecem a Deus é justamente estragar o relacionamento construído com Ele. “Quem teme a Deus não teme mais nada nem ninguém. Seus temores desaparecem.

Aquele pensamento de ‘não posso, não consigo’, morre no Altar. Quando você se alia a Deus você não desce do Altar sozinho: você desce com Deus ao teu lado. Se você tem certeza que luta com Deus ao teu lado, qual é a luta que vai intimidá-lo? Quando a pessoa passa pelo Altar, ela desce um gigante”, finalizou.


O dia, o lugar e o momento para o Vau de Jaboque
  • Flavia Francellino / Foto: Demétrio Koch 


reportar erro