Rede aleluia
Novos Obreiros são consagrados na Universal em todo o Brasil
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 15 de novembro de 2020 - 00:05


Novos Obreiros são consagrados na Universal em todo o Brasil

A cerimônia foi transmitida diretamente do Templo de Salomão, em São Paulo, para todo o País

Novos Obreiros são consagrados na Universal em todo o Brasil

No dia 24 de outubro, 5.653 novos obreiros foram consagrados na Universal em todo o Brasil. O Bispo Júlio Freitas, responsável pelos obreiros da Igreja, realizou a cerimônia, que foi transmitida diretamente do Templo de Salomão, em São Paulo, para todo o País.

“Para vergonha dos que nos perseguem, com mentiras e críticas, o evento mostrou, mais do que nunca, que obreiros e colaboradores estão fortes, unidos e engajados nos grupos da Universal”, afirmou o Bispo. Prova disso é que, ao todo, 133.406 pessoas participaram da consagração presencialmente em todo o Brasil. Além disso, mais de 102 mil pessoas assistiram à cerimônia em tempo real pelo Facebook.

O que fazem
Os obreiros são uma espécie de “cartão-postal” da Igreja. Na batalha espiritual, eles estão na linha de frente e fazem o primeiro contato com as pessoas que chegam à Igreja e, por isso, precisam refletir o caráter do Senhor Jesus. “Para ser obreiro é preciso ter Fé, receber um chamado e atender a ele com coragem e determinação”, destacou o Bispo.

Ao todo, são dois anos de preparação: um ano no Curso de Preparação para Obreiros (CPO) e outro como obreiro colaborador. Passado este período de avaliação, os aprovados se tornam obreiros. O título não é garantia de permanência, pois exige ainda mais consagração e, para isso, o requisito básico é o sacrifício.

Sacrifício
“E, desde os dias de João o Batista até agora, se faz violência ao reino dos céus, e pela força se apoderam dele.” (Mateus 11.12). Essa “violência” não se relaciona ao comportamento, mas à violação da própria vontade, das emoções, fraquezas, dos costumes e até da amizades, ou seja, de tudo o que nos afasta de Deus. “A vida com Jesus requer abstinência e renúncia. Só os fortes se apoderam do Seu Reino. A força aqui é da fé, da obediência e do sacrifício, negando-se dia após dia, tomando a sua cruz e seguindo-O”, disse o Bispo. Ele ainda lembrou que essa consagração não tem data de validade, pois começa aqui e será por toda a eternidade.

A vontade de Deus
O comprador técnico Michael Policher Almeida, de 35 anos, chegou aos 6 anos à Universal. Apesar de frequentar a Igreja, ele desenvolveu depressão. “Aos 18 anos passei a ter o desejo de me matar, pois não conseguia construir nada na vida.” À medida que a depressão aumentava, os vícios surgiram. Ele passou a jogar on-line e investia muito dinheiro nisso, o que lhe gerou problemas financeiros. Ele também começou a acessar pornografia. “Minha vida amorosa estava destruída e todos os meus relacionamentos eram frustrados.”

Aos 27 anos, Michael percebeu que vivia uma vida dupla: na Igreja era um “santinho” e, fora dela, como descreve, um “diabinho”. Ele recorreu ao Altar, pediu perdão a Deus por não ter priorizado o Espírito Santo e reconheceu que precisava dEle para se manter salvo e salvar outras pessoas. Para ele, a cerimônia de consagração representa o começo de uma guerra contra o inferno. “Minha missão aqui na Terra é levar a Palavra que liberta de todo engano causado pelo diabo.”

Salva para libertar
A mesma Palavra transformou a vida da assessora Alessandra Paes da Silva, de 45 anos. Ela foi viciada em drogas por 25 anos e começou a consumir cocaína aos 11 anos. Além disso, passou por todas as penitenciárias femininas do Estado de São Paulo por tráfico de drogas ao longo de 18 anos. Alessandra conta como ela era naquela época: “depressiva, suicida e entorpecida. Eu vivia para fazer e maquinar o mal contra mim e contra quem estivesse ao meu redor.”

No entanto a conversão de sua mãe chamou sua atenção: “eu via nela algo que somente Deus poderia ter feito. Ela me ensinou o caminho da Fé”, conta. Então, Alessandra buscou sua libertação espiritual, entregou sua vida a Deus e ao receber o Espírito Santo se colocou à disposição para servi-Lo. “Ter sido consagrada foi como se o próprio Deus confirmasse a escolha dEle por minha vida. Reconheço o amor real e leal dEle por mim em cada detalhe.”

Pelo Brasil
Na Bahia, as educadoras Romilda de Jesus Silva e Rosimaria de Jesus Sena, da cidade de Prado (a 492 quilômetros da capital, Salvador), ficaram surpresas ao saber que três jovens que participaram da Escola Bíblica Infantil (EBI) foram consagrados obreiros. Elas atuam com as crianças há cerca de 20 anos. “É uma alegria imensurável saber que fomos instrumentos nas mãos de Deus e que estamos contribuindo para o crescimento da Obra dEle”, disse Rosimaria.

Um deles foi Yure Pires Barros, de 23 anos, que chegou à EBI aos 6 anos. “Aprendi a me tornar uma criança obediente e fiel a Deus. Inclusive, foi lá que tive o meu encontro com Ele”, observa.

*Colaborou: Daniel Cruz


Novos Obreiros são consagrados na Universal em todo o Brasil
  • Núbia Onara / Fotos: Demetrio Koch 


reportar erro