Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 4 de outubro de 2019 - 13:08


“Naquele lugar, minha inocência estava sendo roubada”

Levada a se prostituir, Scheila se tornou uma jovem depressiva e com desejo de suicídio

A empresária e estudante de Direito, Scheila, de 32 anos, quando criança, viu a mãe se afundar nos vícios da bebida por conta da depressão e piorou, ainda mais, com a morte do pai.

Com seis crianças para sustentar e sem ter de onde tirar o sustento, a mãe de Scheila começou a vender os móveis da casa para conseguir comprar alimento. “Cada semana, ela vendia uma coisa”, recorda-se Scheila.

Foi nessa época que uma pessoa apareceu na casa delas e ofereceu emprego a Scheila. Disse que a levaria para trabalhar em um posto de gasolina. Com o consentimento da mãe, a menina foi levada. Porém, o local era, na verdade, uma casa de prostituição.

A partir de então, a vida de Scheila se transformou em um verdadeiro tormento.

“Eu percebi que ali, naquele lugar, a minha inocência estava sendo roubada. Eu via aqueles homens como se fossem ladrões. Toda vez que vinham na casa, arrancavam um pedaço de mim. Eu bebia e cheirava todos os dias, porque tinha que ter alguma coisa para ocupar minha cabeça”, relata.

Então, aquela depressão que ela tinha visto destruir a sua família, agora também fazia parte da vida dela. Um dia, porém, uma obreira da Universal disse uma palavra que despertou nela uma esperança que, até então, ela desconhecia. “O Senhor Jesus te ama”, disse a mulher a ela.

“Aquela palavra foi um remédio para minha alma, porque veio dentro de mim a vontade de visitar a Igreja”, comenta.

Acompanhe o depoimento dela e saiba o que aconteceu a partir de então:

Se assim como Scheila, você também tem sido vítima da depressão, participe às sextas-feiras da Sessão do Descarrego, uma reunião dirigida, especialmente,  a quem sofre com os problemas da alma.

O encontro é o maior ponto de luz humano do mundo. Se você sofre com a depressão, síndrome do pânico, ou qualquer outro distúrbio emocional, participe desta reunião de fé. O objetivo deste propósito é que todos que sofrem com a escuridão que essa depressão causa, ao entrarem no maior ponto de luz, o mal seja dissipado.

Encontre aqui o endereço da Universal mais perto de sua casa.


  • Jeane Vidal / Foto: Reprodução 


reportar erro