Rede aleluia
Não o amo mais. E agora?
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 25 de Julho de 2021 - 00:05


Não o amo mais. E agora?

Não o amo mais. E agora?

A aluna Raiane está no segundo casamento e diz que já sofreu demais no relacionamento por causa de humilhações. O companheiro a largava em casa para ficar com os amigos. Hoje em dia ele não faz mais isso porque percebeu que ela não estava gostando. Contudo Raiane não o ama mais e mantém um casamento de fachada por conta da filha. Ela não está mais aguentando essa situação e pede conselhos.

RAIANE – Moro no interior de Goiânia, já li quase todos os livros de vocês e estou no segundo casamento. No início sofri muito, pois meu marido me largava em casa e passava fins de semana com amigos. Hoje em dia ele não faz mais isso porque percebeu que eu não estava gostando. Estou sofrendo muito por estar com ele, pois eu não o amo mais. Por conta da rotina e do desgaste do casamento, hoje tenho um casamento de fachada. Tenho uma filha de dois anos e a situação está cada dia pior. Eu não estou aguentando e todos estão percebendo isso. Gostaria de receber um conselho de vocês. Não estou mais feliz com ele e tenho certeza de tudo que disse. Me ajudem, por favor.

CRISTIANE – Essa certeza que você tem é, na verdade, mágoa. Você tem mágoa do que ele fez, pois ele saía e a deixava sozinha. Você guardou tudo e parece que não o ama mais, acha que esse relacionamento é somente de aparência, mas, no fundo, amiga, você guarda mágoas. Ele parou de errar, mas vocês nunca se corrigiram um com o outro. Quando ele parou, você já estava com tanta mágoa que não conseguiu nem aproveitar a mudança dele. Você começou a “dar um gelo” nele e o casamento não resiste assim. Se você começou a dar um gelo nele, se tem mágoa de seu parceiro, vai se distanciar dele e o amor ficará embaixo disso tudo.

RENATO – O que as pessoas precisam aprender é que a felicidade é uma escolha e que ela não pode estar sujeita a coisas externas a nós. Se eu condiciono minha felicidade à Cristiane, dependerei dela para ser feliz, serei escravo dela e colocarei a responsabilidade da minha felicidade nela. Qualquer coisa que ela fizer que contrarie a minha felicidade, eu ficarei chateado e ocorrerá uma série de transtornos por causa da expectativa que eu coloquei nela. Isso não é o jeito certo de viver. Vou comentar um caso que aconteceu na Inglaterra no qual o juiz negou um pedido de divórcio da esposa que alegava que era infeliz com o marido e queria se separar. Pela lei britânica não é possível conceder o divórcio porque uma pessoa está infeliz no casamento. Esse argumento não é base para a separação. O juiz da Suprema Corte britânica decidiu isso como forma de fechar o caso. Eu concordo com ele, porque, se for para decidir e usar a razão de estar infeliz com minha esposa para a separação, qual o sentido do casamento e que relacionamento suportará? Qual marido ou esposa resistirá? Raiane, a felicidade é uma escolha e você escolheu ficar lembrando do passado. Ele errou, mas você disse que ele já parou. Provavelmente, ele amadureceu, mas quem decidiu se fazer de difícil foi você. O que você pode fazer? Se divorciar, ficar sozinha com sua filha e se envolver com outra pessoa que pode fazer algo que a deixe infeliz e, assim, você vai querer se separar de novo?

CRISTIANE– E seria o terceiro casamento.

RENATO – Não existe casamento feliz o tempo todo. O casamento é uma luta.

CRISTIANE – É como a relação entre pais e filhos: não é um mar de rosas, tem momentos bons, mas tem os ruins também e ninguém quer se divorciar do filho. Ainda não criaram nada do tipo. Na verdade, as pessoas nem pensam em fazer isso porque sabem que é uma fase difícil e que ela vai passar. Quando uma pessoa está muito magoada, ela não diz “meu esposo”, mas “o pai da minha filha”. Se você acabar com seu casamento, deve lembrar que, quando falar da experiência de ter sido casada duas vezes, precisará dizer que você que desistiu dele. Seu marido mudou e você não quis mudar e olhar para a frente e, por isso, quem acabou com o casamento foi você. Claro que você não deve ficar no casamento por causa da sua filha, mas ela sofrerá e entenderá no futuro que a mãe desistiu do pai.

RENATO – Não estamos dizendo que você tem que ficar nesse casamento como escrava ou deprimida. Estamos falando que tem como consertar o que está quebrado e o casamento. Entretanto a primeira mudança é que você terá que investir no casamento.

CRISTIANE – Entenda que a felicidade não está fora de você. Quando estão em uma fase difícil do casamento, muitas pessoas pensam em desistir dele porque querem encontrar a felicidade, mas você pode encontrá-la no relacionamento atual. É só fazer as coisas certas.

RENATO – Você ama seu marido, mas está focando nas coisas erradas e, ao focar nelas, arrumará razões para não gostar dele. O amor não acaba da noite para o dia. Há como resgatar esse amor. Ele está debaixo das lembranças. Se você mudar, ele voltará à tona.

CRISTIANE – Se você quer mudar e quer nossa ajuda, acesse terapiadoamor.tv ou vá à Universal mais próxima de você e participe das palestras da Terapia do Amor.


Não o amo mais. E agora?
  • Kaline Tascin - Foto: Getty images 


reportar erro