Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 8 de fevereiro de 2020 - 20:56


Namoro Blindado In Concert ensina qual voz ouvir para ser feliz no amor

Megaevento também contou com apresentações musicais e orações

Desde o meio-dia deste sábado (8), as 40 mil pessoas que participaram do megaevento Namoro Blindado In Concert, promovido pela Força Jovem Universal (FJU) no Anhembi, zona norte de São Paulo, contaram com uma tarde de muita diversão e aprendizados valiosos para a vida amorosa.

Logo na abertura, o Namoro Blindado In Concert contou com uma competição musical, no qual o jovem cantor Alison dos Santos Silva ficou com o segundo lugar. A primeira colocada foi a jovem Yasmim Dias Luna. Ambos receberam uma premiação em dinheiro (foto abaixo).

 

O Bispo Celso Júnior, responsável pela Força Jovem Universal, ao lado dos apresentadores Marcos Vinicius Hidalgo e Thais Moreira, explicaram a importância do projeto Help, que já resgatou milhares de jovens que desejavam o suicídio e praticavam a automutilação. “O FJU é uma família, em que o jovem pode interagir com vários projetos e desenvolver o talento que tem”, comentou o Bispo.

A jovem Luíza Santos subiu ao palco e contou a todos que, antes de chegar ao grupo, ela era depressiva e se automutilava. “Eu tinha complexos, perdi meu pai muito cedo, não tinha um lar feliz . Então, comecei a buscar a felicidade na automutilação, porque eu tinha uma dor tão grande e não sabia como me expressar. Comecei a usar drogas e a fazer tatuagem, pois eu tinha prazer em sentir a dor da tatuagem. As pessoas queriam ser igual a mim, mas não sabiam que eu tinha sofrido um abuso e que eu odiava a minha mãe”, relembrou.

O sofrimento de Luíza foi tanto que ela chegou a querer tirar a própria vida. “Mas eu mudei quando conheci a FJU, porque aqui eu encontrei a verdadeira felicidade. Automutilação nunca mais. Eu nunca imaginei que eu poderia encontrar essa felicidade e não a troco por nada”, comemorou.

A Banda Universos também se apresentou e cantou sucessos como “Um Sonho bom pra mim”, “Eu sei o meu valor”, “Quando eu olho pra você”, “Flor”e “I Will Love”.

O Balet Oceano, do projeto Cultura, fez uma belíssima apresentação, que preparou o público para a grande e esperada atração: a palestra com os autores do livro Namoro Blindado, Renato e Cristiane Cardoso.

Como se pode amar de ouvido?

Foi com esse questionamento que Renato Cardoso começou o ensinamento, na tarde deste sábado, para a multidão que aguardava ansiosa pela palestra. “Amar de ouvido significa você ter ouvidos para perceber o que pode lhe guiar para o fracasso amoroso ou guiar para o sucesso. Pois, tudo o que você vai fazer e o que vem fazendo na sua vida amorosa, entrou primeiro pelos seus ouvidos”, alertou.

Cristiane complementou dizendo que muitas vezes as pessoas até escutam palavras que parecem fazer sentido, mas que lá na frente causam sofrimentos. A exemplo daqueles conselhos deixados por muitas mães às filhas de que elas não devem depender de homem nenhum. Num primeiro momento, o conselho parece querer proteger quem ouve, porém, pode causar comportamentos ruins, que nem a própria pessoa entende.

“Tudo o que você já ouviu, desde que nasceu, tem formado quem você é. E hoje, mais do que nunca, são inúmeras as vozes que estão à disposição. Elas estão nas músicas que ouvem, com letras e ritmos que gostam, nos filmes, nas séries, nos vídeos que assistem, nas pessoas que seguem nas redes sociais, nos livros que leem”, explicou Renato.

Para aprofundar o entendimento, o casal exibiu no telão uma imagem de um latão de veneno sendo despejado em um poço. A imagem representa a mente da pessoa que vai absorvendo ideias envenenadas, que culminam com o fracasso no amor. “Elas estão olhando para diversas fontes e absorvendo ideias ruins, sem questionar a quem está ouvindo, a quem está seguindo, e essas palavras se traduzem em comportamentos destrutivos para elas mesmas”, destacou Renato.

Celular: amigo ou inimigo?

Hoje, a maioria das pessoas tem o celular como uma extensão do seu corpo. Por saber disso, os palestrantes alertaram os presentes para que não façam da internet uma dependência. “As pessoas passam horas e horas na internet e esse uso contínuo está treinando o cérebro a ter um curtíssimo período de atenção. Além disso, faz com que muitas se tornem rápidas no digitar, mas péssimas em dialogar. Muitos estão sabendo bem clicar na tela, mas não estão sabendo tocar nas mentes, corações e almas”, disse Renato.

Já Cristiane destacou outro ponto negativo: o desejo de querer mostrar uma vida fake nas redes sociais. “Quem vive para a rede social acaba alimentando uma vida falsa, pois em casa ela não consegue falar com a mãe, com o pai, com a esposa ou marido, não consegue fazer novas amizades. Sendo assim, ao mesmo tempo que as redes sociais unem as pessoas virtuais, ela afasta as pessoas reais”.

Os palestrantes também exibiram no telão o seguinte versículo:

“E vós fizestes pior do que vossos pais; porque, eis que cada um de vós anda segundo o propósito do seu mau coração, para não me dar ouvidos a mim.” Jeremias 16:12

Eles explicaram que tal alerta deixado por Deus pode ser aplicado também à vida amorosa. Uma vez que muitos pais erraram no amor quando eram jovens e os filhos estão errando da mesma maneira ou até pior. “Você pode amar sua mãe, seu pai, mas se eles têm algo que você herdou e que está lhe prejudicando na vida amorosa, você deve olhar para dentro de si, e isso dói. Pois tem que lutar contra sua natureza, a fim de não repetir os mesmos erros dos seus pais”, avaliou Renato.

Ao fim da palestra, o casal realizou uma oração especial para todos que desejavam deixar de ouvir as muitas vozes tóxicas que só lhe prejudicam e começarão a ouvir a voz de Deus.

“Você pode ter tido dezenas de relacionamentos, sofrido terríveis coisas, mas se começar a dar ouvidos ao Autor do amor, que é Deus, você nunca vai cair nas armadilhas do coração maligno”, disse Renato.

“A voz de Deus está acima de todas as vozes que você já ouviu ao seu respeito, pois quando Deus fala, todas as outras vozes são anuladas”, finalizou Cristiane.

 

Ouvindo a voz do Autor do amor

Alguns participantes fizeram questão de contar como a palestra fez bem para eles. Foi o caso do assistente financeiro Douglas Gomes, de 22 anos. Ele disse que as muitas vozes que ouvia sempre o influenciavam a buscar algo a mais, o tornando muito exigente. “Eu percebi que isso era um defeito e tenho que mudar”.

A estudante Nataly Cristina Ferreira Mota, de 15 anos (foto ao lado), garante que aprendeu a colocar Deus em primeiro lugar e a evitar que os problemas vividos pelos pais reflitam em seu relacionamento. “Eu entendi que se Deus não estiver em primeiro lugar na vida da pessoa que eu vou me relacionar, ela não servirá para mim”.

Confira a matéria do Jornal da Record sobre o evento:

Veja a galeria de imagens:


  • Cinthia Meibach e Rafaela Dias / Imagens: Demetrio Koch 


reportar erro