Rede aleluia

Notícias | 14 de setembro de 2018 - 00:05


Namorada holográfica: o novo produto japonês

Empresa cria relacionamento virtual para substituir o real

Não importa quanto os veículos de comunicação evoluam e aproximem as pessoas, construir um namoro sempre vai ser difícil. Prova disso é que, cada vez mais, a própria tecnologia visa lucrar com a solidão de parte da população.

A última novidade nesse quesito é a namorada holográfica criada por uma empresa japonesa. Percebendo a dificuldade que muitos rapazes têm em se aproximar de garotas reais, os empresários donos dessa companhia desenvolveram um computador capaz de despertar seu dono romanticamente, aconselhar a levar uma blusa ao sair de casa e enviar mensagens de texto perguntando: “A que horas você voltará?”.

A pessoa que compra essa “namorada” busca um relacionamento que não conseguiu construir na vida real. Para a especialista em ética na robótica da Universidade de Montfort (Reino Unido) Kathleen Richardson, esse tipo de produto é como a pornografia: Em vez de resolver o problema, “sem dúvida, aumenta o isolamento social”.

Já o professor emérito de robótica e inteligência da Universidade de Sheffield (Reino Unido), Noel Sharkey, afirma que “os fabricantes querem criar uma experiência mais próxima possível de um encontro sexual humano. Mas os robôs não podem sentir amor, ternura, nem podem criar laços afetivos. O melhor que eles podem fazer é fingir”.

Ou seja: nessa relação os únicos ganhadores são dos fabricantes que lucram com as vendas.

Então, o que fazer?

A primeira atitude a tomar é cuidar de si mesmo. Se alguém deseja tão desesperadamente um companheiro a ponto querer uma namorada holográfica é porque já passou do ponto em que precisa buscar ajuda. Isso porque ela não está em uma posição emocional boa para construir qualquer relacionamento com outro ser humano. Como afirma Renato Cardoso, “Quando uma pessoa não está emocionalmente inteira e bem resolvida com ela mesma, corre um grande perigo ao entrar em um relacionamento: o de fazer o outro o seu tudo”.
Por isso é importante primeiro amar a si mesmo para somente depois amar outra pessoa.
“Para acertar sua vida com alguém, comece se acertando consigo mesmo. Pare de errar. Pare de se desgostar. Afinal, já que você nunca vai conseguir se separar de si mesmo, é melhor aprender a conviver junto”, orienta o escritor.

“Como se tornar inteiro e bem resolvido? Como se curar das feridas emocionais? Como consertar o que você nem sabe que está quebrado? Para isso existe a Terapia do Amor — a palestra para solteiros e casais inteligentes”, indica Renato.

Clique aqui e saiba onde acontecem as palestras.


  • Andre Batista / Imagem: Reprodução Youtube 



reportar erro