Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 5 de abril de 2018 - 03:05


Na Arábia Saudita espiar o celular do cônjuge agora é crime

Será que tamanha proteção à privacidade do indivíduo faz bem para o casamento? Saiba mais

A Arábia Saudita anunciou, no dia 2 de abril, que a partir de então quem ler conteúdo do celular do cônjuge sem prévia autorização estará cometendo um crime. A medida faz parte de uma nova legislação sobre crimes cibernéticos no país.

Em um comunicado publicado no jornal israelense The Time Of Israel, o Ministério da Informação árabe afirmou: “As pessoas casadas que planejarem espionar a esposa ou o esposo na Arábia Saudita deverão pensar duas vezes porque a atividade poder custar-lhes multa de 500 mil rials (o equivalente a pouco mais de R$ 440 mil), além de uma pena de até um ano de prisão”.

A medida, de acordo com o Governo, existe para “proteger a privacidade dos indivíduos”. Mas será que deve existir privacidade dentro de um casamento?

O escritor e palestrante Renato Cardoso, autor do livro “Casamento Blindado 2.0 – O Seu Casamento À Prova de Divórcio”, acredita que não:

“Se você quer sua privacidade então não case. Não case, vá viver sozinho. Não existe privacidade em casamento. Se você é casado o seu cônjuge tem direito de acesso ao celular, ao computador, a sua conta bancária, a sua cueca suja e tudo o mais da sua vida. E se você esconde alguma coisa é porque você ou não entende nada de casamento ou tem algo a temer”.

Cristiane Cardoso, esposa de Renato, e também escritora e palestrante, concorda:

“Se você casar vai ter de dar satisfação àquela pessoa. Ou seja: Quem são esses amigos? Com quem que você está falando?… Isso aí faz parte de estar num casamento.”

“É claro que só deve se preocupar com essa transparência total quem tem algo a temer. Porque quando você não tem nada a temer, se você não está fazendo nada de errado, ter privacidade ou não no casamento não faz diferença alguma”, conclui Renato Cardoso.

Quer saber mais sobre esse e outros assuntos relacionados à vida a dois? Participe da Terapia do Amor, que acontece todas as quintas-feiras, no Templo de Salomão, em São Paulo, ou clique aqui e veja o endereço mais próximo de sua casa onde é realizada essa mesma palestra.


  • Por Andre Batista / Imagem: Thinkstock 


reportar erro