Rede aleluia
Mídia brasileira menospreza escolha de Tarcísio por causa de religião
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 30 de Novembro de 2022 - 19:34


Mídia brasileira menospreza escolha de Tarcísio por causa de religião

Ao anunciar nomes para sua gestão como governador de SP, escolha é alvo de preconceito religioso

Mídia brasileira menospreza escolha de Tarcísio por causa de religião

Nos últimos dias, o governador eleito do Estado de São Paulo, Tarcísio Freitas (Republicanos), tem divulgado os nomes que irão assumir o secretariado da sua gestão. No entanto, o que deveria ser um anúncio normal virou alvo de preconceito religioso por boa parte da mídia brasileira.

O que você precisa saber:

O governador eleito, Tarcísio de Freitas já havia anunciado nomes para sua equipe de transição de governo e nesta quarta-feira (30) confirmou o deputado federal Roberto de Lucena (Republicanos) como Secretário de Turismo.

Mas, a mídia brasileira fez questão de ressaltar apenas a sua religião, destacando que ele foi “o primeiro evangélico a assumir o alto escalão do governo”. 

O jornal Estadão, por exemplo, anunciou no título da notícia que o governador “escolheu um pastor para comandar o Turismo em SP”, menosprezando a sua posição oficial como parlamentar, pois além de ser pastor de uma igreja evangélica, Lucena também é uma autoridade política.

Outros sites de notícias também repercutiram a informação com o mesmo enunciado preconceituoso e discriminatório.

O que analisar:

Contudo, Roberto de Lucena possui três mandatos como deputado federal, atuando na Câmara dos Deputados desde 2011. Inclusive, ele já havia assumido o mesmo cargo de Secretário de Turismo de São Paulo anteriormente, no ano de 2015. Mas, isso os meios de comunicação preferem deixar em segundo plano.

Por fim, diante disso tudo, fica aqui um indagação: até quando a fé, os princípios e valores de uma pessoa são fatores para diminuir a sua competência profissional?

Leia também:

Tarcísio escolhe Capitão Derrite para a Segurança Pública e Esper Kallás para o Butantan


Mídia brasileira menospreza escolha de Tarcísio por causa de religião
  • Redação / Foto: Reprodução 


reportar erro