Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 10 de junho de 2018 - 03:05


Livre da doença, ela passou a acreditar em Deus

Conheça a história da manicure Bruna Gonçalves, diagnosticada com nódulos mamários

A manicure Bruna Barbosa de Souza Gonçalves, de 31 anos (foto abaixo), teve de lidar com um problema de saúde no ano de 2013. A jovem, que na época estava com 26 anos, notou uma secreção estranha nos seios.

“Isso aconteceu quando a minha filha completou 2 anos. Achei estranho. Depois de tanto tempo sem amamentar, comecei a ter essa secreção. No exame de toque, a médica percebeu um carocinho. Fiz outros exames e foi constatado que eu havia sofrido um derrame papilar e que tinha dois nódulos em cada seio.”

O derrame papilar ocorre quando há a saída de secreção do mamilo fora do período de gestação/amamentação. É o que explica a médica Ana Beatriz Falconi – membro da Sociedade Brasileira de Mastologia. Essa é uma condição benigna, resultante da secreção das glândulas mamárias. É preciso se preocupar, entretanto, nos casos em que a secreção for sanguinolenta ou limpa e cristalina (chamada de água de rocha), porque essas colorações podem estar associadas a algum tumor.

Nódulos

A secreção de Bruna não era sanguinolenta e nem cristalina, mas ela precisava tratar dos nódulos; que eram benignos e que podiam se tornar malignos, caso um acompanhamento adequado não fosse feito.

O tratamento foi feito com a administração de quatro vacinas e de alguns medicamentos durante um ano. Naquele período, Bruna não acreditava em Deus. Ela perdeu as esperanças no oitavo mês de tratamento. “Os nódulos tinham aumentado e fui informada de que precisaria fazer uma cirurgia para retirá-los”, recorda.

O que diz o especialista

“Considerada uma das queixas mais comuns nos consultórios de mastologia, podendo chegar a 60% dos motivos das consultas, os nódulos mamários – em sua maioria – correspondem a patologias benignas (70-75% dos diagnósticos) e podem apresentar conteúdo cístico ou sólido. Portanto, ao apalpar um nódulo, não há motivo para desespero”, explica a médica Ana Beatriz Falconi, membro da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM).

egundo a especialista, a glândula mamária sofre grandes mudanças durante a evolução da mulher, entre a menarca e a menopausa. Após a menarca (primeira menstruação), o tecido mamário pode responder de maneira exagerada aos estímulos hormonais fisiológicos, formando os fibroadenomas, que correspondem aos nódulos mamários mais frequentes. São nódulos com crescimento limitado e, em geral, não ultrapassam dois centímetros. Após a menopausa, o tamanho diminui.

Para chegar ao diagnóstico, é preciso realizar o autoexame das mamas, que poderá evidenciar alguma alteração palpável. O melhor momento para se realizar o exame físico das mamas é logo após o período menstrual.

Atualmente, com a utilização dos exames de imagem mamária (mamografia e ultrassonografia), muitos nódulos são diagnosticados sem que a paciente apresente sintomas. No caso de tumores, um tratamento adequado deve ser realizado com uma equipe oncológica.

Portanto, em caso de suspeita, procure logo orientação médica.

Importância da fé

Bruna saiu da consulta médica arrasada. Desolada, sentou no banco de uma praça. Foi quando ouviu as palavras de uma mulher desconhecida. “Eu estava sentada, sem saber o que fazer. Uma moça que frequentava a Universal apareceu e perguntou o que estava acontecendo comigo. Eu contei e recebi o convite para ir com ela à Igreja. Eu disse a ela que Deus não existia e que eu não acreditava em milagres.”

A mulher insistiu e Bruna aceitou o convite. Na Universal, ela recebeu uma oração e logo o pastor que a atendeu pediu para que refizesse os exames, pois ele tinha certeza de que ela estava curada. “Na hora, eu não entendi direito, mas corri para fazer um ultrassom de urgência. Antes do resultado sair, eu voltei à Igreja e falei para o pastor que, se eu fosse curada, eu passaria a acreditar em Deus e O serviria pelo resto da minha vida.”

Resultado

Bruna marcou uma nova consulta médica para mostrar os exames. O resultado mostrou que os nódulos já não apresentavam mais perigo. A manicure entendeu que o milagre tinha acontecido.

Ela continuou o tratamento até o final, mas reconheceu a importância da fé e da oração para a eficiência das medicações e cura do problema.

Cumprindo a promessa

Bruna passou a ter certeza da presença de Deus depois de tudo o que viveu. “Eu lembro que gastei em torno de R$ 8 mil com o meu problema. Saber que eu estava curada por um milagre fez com que eu reconhecesse a existência dEle.”

Seis anos se passaram e, desde então, Bruna não deixou de frequentar a Universal. Ela jamais desistiu da fé e, atualmente, ajuda pessoas que não acreditam em Deus, como ela um dia também não acreditou.

Se você deseja alcançar a cura e o milagre na sua vida, ou tem um familiar que está enfrentando um problema de saúde, participe das correntes de terça-feira na Universal mais próxima de você.

Reunião da Saúde restaurada

Direcionada a quem sofre com uma doença, dores ou problemas de saúde persistentes. Todas as terças-feiras, no Templo de Salomão ou em uma Universal mais próxima de você. Para saber os horários, clique aqui.

* A Universal ensina a prática da fé espiritual associada ao tratamento médico recomendado a cada paciente


  • Por Maiara Máximo / Fotos: Arquivo Pessoal 


reportar erro