Rede aleluia
Justiça determina que Haddad apague ofensas ao Bispo Edir Macedo
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 31 de Outubro de 2018 - 17:04


Justiça determina que Haddad apague ofensas ao Bispo Edir Macedo

Candidato derrotado usou redes sociais para atacar cristãos

Justiça determina que Haddad apague ofensas ao Bispo Edir Macedo

Nesta terça-feira (30), o Tribunal de Justiça de São Paulo determinou que Fernando Haddad, candidato derrotado no segundo turno da Eleição à Presidência da República, apague em 48 horas as ofensas ao Bispo Edir Macedo, publicadas em vídeos que estão em contas no Facebook e no Twitter.
O ex-prefeito de São Paulo reponde na Justiça por ter afirmado que o apoio do Bispo Macedo à candidatura de Jair Bolsonaro seria provocado pela “fome de dinheiro”. O político ainda acusou o líder espiritual da Igreja Universal do Reino de Deus de ser um “charlatão fundamentalista”.
Além desta ação, Haddad também é processado pelo crime de intolerância religiosa e em queixa-crime por calúnia, injúria e difamação por seus ataques aos cristãos, à Universal e ao Bispo Macedo.
O preconceito do candidato derrotado provocou um grande movimento de solidariedade por parte de lideranças religiosas de diferentes correntes, que repudiaram o atentado do ex-prefeito de São Paulo à Fé Cristã, e assinaram uma carta de apoio à Universal.
A Justiça determinou que Haddad pague uma multa diária de R$ 5 mil, caso descumpra a decisão judicial. Por decisão do Bispo Macedo, esse valor também será revertido para obras sociais.


Justiça determina que Haddad apague ofensas ao Bispo Edir Macedo
  • Unicom 


reportar erro