Rede aleluia

Notícias | 11 de outubro de 2018 - 17:12


Jovem mata a mãe, influenciada por novela da Globo

Influenciados por “Segundo Sol”, jovem se transforma em homicida da própria mãe

A vilã prepara uma seringa sem líquido algum dentro e dá a injeção na vítima. O ar que estava na seringa invade uma veia formando uma bolha que circula pela corrente sanguínea até o pulmão, bloqueando a passagem de sangue. O resultado é a morte por embolia pulmonar, à primeira vista confundida com morte natural.

Essa foi a cena transmitida pela telenovela “Segundo Sol”, da Rede Globo, no dia 2 de outubro. Horas depois, uma jovem de 21 anos, Paloma de Vasconcelos repetiu a cena em Petrópolis (RJ), matando a própria mãe.

O inspetor da Polícia Civil Alexandre Gheren afirmou à imprensa: “A homicida confirmou que se inspirou na telenovela para cometer o crime”. Tanto ela, quanto seu namorado, Gabriel Neves, que também participou do crime estão presos.

Como na novela, todos acreditaram que o motivo da morte era natural. O caso só foi descoberto quando o padrasto de Paloma assistiu ao filme gravado por câmeras instaladas dentro de casa.

Procurado pela imprensa, o autor da novela João Emanuel Carneiro disse que a “ficção não tem nada a ver com a realidade”. Será verdade?

A influência da televisão no comportamento

No livro “Análise do Comportamento Humano em Psicologia” os autores Aurélio Bolsanello e Maria Augusta Bolsanello relatam que o inventor da televisão Vladimir Kosma Zworrynkin afirmou em entrevista que sua intenção ao inventar a TV era “empregá-la para educar e transmitir cultura ao povo”. Ou seja: desde o início, sabia-se do poder de influenciar as pessoas por meio do conteúdo transmitido.

Nos quase 100 anos de existência, o aparelho serviu para influenciar gostos, comportamentos, política, consumo e muitos outros aspectos da sociedade. A própria assassina citada acima afirma que foi inspirada pela telenovela para assassinar a mãe. De corte de cabelo ao gênero sexual, as telenovelas influenciam enormemente a sociedade.

A psicóloga Angela Biaggio, na obra “Psicologia do Desenvolvimento”, explica que “enquanto antigamente os modelos eram quase exclusivamente os pais e os membros mais íntimos da família, atualmente, os modelos são fornecidos amplamente pela comunicação de massa (jornais, revistas, cinema e, especialmente, a televisão)”.

Por isso, é importante consumir conteúdos que tragam benefícios. Para que perder tempo assistindo a uma telenovela que glamouriza o homicídio, a prostituição e a destruição familiar, se existe a opção de assistir a conteúdos mais bem preparados e conscientes?

Cabe a cada um optar pelo que vai levar para sua mente e para sua vida: novas formas criativas de cometer assassinatos ou algo que melhore a si mesmo como pessoa e, consequentemente, a sociedade em geral.


  • Andre Batista / Imagem: Reprodução R7 



reportar erro