Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 3 de abril de 2020 - 11:01


Japão: coronavírus tem sido bem combatido no país

Os diferentes resultados experimentados pelos países geram uma reflexão sobre a melhor medida contra o COVID-19

No programa “Inteligência e fé“, do dia 2 de abril, o Bispo Renato Cardoso trouxe a participação do Pastor Fabio Ribeiro, responsável pela Universal no Japão, e de sua esposa Talita.

Japoneses se baseiam no bom senso

O casal compartilhou como está sendo a experiência do enfrentamento ao coronavírus (COVID-19) no país asiático. Apesar dos cerca de 127 milhões de habitantes, o Japão tem lidado melhor com a situação do que a Espanha ou a França, por exemplo.

No mesmo programa, o Bispo Jorge Júnior, responsável pela Universal na Itália, contou como está o cenário no país europeu, que perde apenas para a China em número de mortos.

“O Japão é um país pequeno. Comparado ao Brasil, seria do tamanho do estado do Mato Grosso do Sul. Com mais de 35 milhões de idosos. Então, o governo tem passado às pessoas que elas devem ter calma”, explicou o Pastor Fabio.

Em seguida, ele relembrou que tudo se iniciou, no Japão, quando um habitante voltou de viagem da China. “Logo depois, o governo começou a tomar medidas não de isolamento total, mas de conscientização das pessoas. Então, se há alguma pessoa infectada, ela fica em isolamento. Mas não é imposto pelo governo. Ela tem essa consciência de que deve ficar em casa”, apontou.

Tudo funcionando

O quadro entre o Japão e a Itália, por exemplo, contrasta. Com relação às escolas, o governo determinou férias assim que veio a primeira notícia. E, no dia 6 de abril, as aulas retornarão. Igualmente, as empresas estão abertas. O Pastor Fabio ainda acrescentou que as pessoas usam máscaras e luvas, mas seguem com suas vidas normalmente. “Se há uma pessoa infectada, ela fica em casa. Mas, as outras pessoas não. Trabalham, estudam, andam pelas ruas, vão aos comércios. Não há nenhum isolamento por parte do governo”, observou.

Segundo Talita, também não foram constatados casos de coronavírus entre os membros da Universal no Japão: “Nenhuma pessoa foi atingida, segue todo mundo bem. Realmente, a higiene, aqui, começa desde cedo. As crianças aprendem isso já na escola”.

Nesse ínterim, o Bispo Renato analisou, pelas observações, que o sucesso do país não se deu por causa do confinamento: “O que está sendo mais eficaz no Japão é a cultura existente ‘pré-coronavírus’ de higiene, de lavar as mãos, de usar máscara em lugares muito aglomerados. Então, tudo isso minimiza a contaminação pelo vírus”.

Confira no vídeo abaixo a entrevista na íntegra:

O que você achou? Deixe o seu comentário e compartilhe também esta notícia nas redes sociais.


  • Daniel Cruz / Foto: Getty Images 


reportar erro