Rede aleluia

Notícias | 27 de setembro de 2018 - 00:05


Irmãos gêmeos se casam aos 5 anos de idade

Religiosidade faz pais realizarem cerimônia matrimonial

Chaya acaba de se casar com Chanon. Seria apenas mais uma cerimônia matrimonial, não fossem os dados sobre os noivos: ambos têm cinco anos de idade e são irmãos gêmeos.

O casamento entre Chaya Prasop Tamrong e seu irmão idêntico foi organizado pela família das crianças, que acreditam que quando um menino e uma menina nascem gêmeos eles precisam se casar o mais rápido possível. A crença local (eles são da Tailândia) afirma que todo casal gêmeo viveu um grande amor em vidas passadas e, caso o casamento não aconteça, uma morte horrível acontecerá a um deles. Em caso de matrimônio ambos terão vida abundante e saudável.

O chefe do conselho distrital afirmou à agência de notícias Associated Press: “Acreditamos que uma cerimônia de casamento deve ser realizada para os gêmeos masculinos e femininos. Isto é para a boa sorte das crianças e para que elas tenham corpos saudáveis. Eles envelhecerão felizes com a prosperidade e não ficarão feridos ou doentes. Esta é uma antiga crença do passado”.

O caso de Chaya e Chanon é apenas um dos muitos que acontecem na região. Há alguns anos ficaram famosos Teekatat e Tawisa Hiranmekawanit, gêmeos de três anos de idade que foram casados pelos pais.

Fé inteligente

A Organização das Nações Unidas (ONU) condena veementemente o casamento entre crianças. Motivos não faltam: as cerimônias são realizadas contra a vontade dos pequenos, eles não estão prontos para assumirem tal compromisso vitalício, a sexualização de crianças incentiva a pedofilia, etc.

Em declaração oficial, um dos responsáveis pela UNICEF (braço da ONU que protege crianças e adolescentes) afirmou: “Escolher quando e com quem se casar é uma das decisões mais importantes da vida. O casamento infantil nega esta escolha a milhões de meninas todos os anos”.

Infelizmente, nem todos pensam assim. Religiões e tradições decidem o futuro de milhares de crianças todos os dias. No caso acima não há qualquer evidência de que uma pessoa adquirirá super saúde ao se casar com o próprio irmão. Tampouco é possível afirmar que alguém morrerá tragicamente por não se casar.

Isso é o que acontece quando a fé é utilizada baseada apenas em emoções. Pessoas não raciocinam sobre o que estão fazendo e se deixam levar pelos sentimentos e religiosidades como explica o Bispo Edir Macedo em seu blog:

“Porque a religião trabalha com a fé emotiva. Da mesma forma como a emoção usa clubes para promover rivalidades (às vezes, até morte), também o religioso tem sido movido à fé emotiva que, diga-se de passagem, não traz nenhum benefício prático”, alerta.

Porém, o Bispo explica que a Fé bíblica não está apoiada em nenhum tipo de ciência deste mundo. Antes, seus ensinamentos (Leis, Mandamentos e Conhecimentos de Sabedoria) vêm do Espírito do Deus Altíssimo. “A Fé bíblica vem do Pai da Sabedoria e nos premia com uma consciência limpa, honesta, paz com as demais pessoas e, sobretudo, com Deus. Deus nos dá a Palavra. A Palavra faz a gente raciocinar, a Palavra faz a gente pensar, a Palavra dá visão do que Deus quer. Isso é fé inteligente”, finaliza o Bispo.

 


  • Andre Batista / Imagem: Reprodução internet 


reportar erro