Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 8 de dezembro de 2019 - 00:05


Independentemente do diagnóstico, A vida não acabou

Ação do projeto Help FJU leva apoio emocional a pacientes que tratam de câncer

Com o objetivo de conscientizar e combater a depressão em pessoas que foram diagnosticadas com câncer, o programa social Força Jovem Universal (FJU) realizou, no final de outubro, em todo Brasil, a ação A vida não acabou, em hospitais que tratam a doença.

Cerca de cinco mil pessoas foram alcançadas pelos voluntários do projeto Help FJU, por intermédio de folhetos, cartazes e cartas motivacionais.

“Percebemos que o número de pessoas que desenvolve depressão após um diagnóstico de câncer, inclusive o de mama, é muito alto. Decidimos ir até esses doentes com a mensagem de que a vida ainda não acabou e que eles podem vencer tanto o câncer quanto a depressão”, explica o responsável pelo projeto Help FJU, Cadu Souza.

Retribuindo o apoio
Uma das iniciativas dos voluntários do projeto Help no Espírito Santo foi realizada em frente ao Hospital Santa Rita de Cássia, especializado em tratamento do câncer.

A empresária Anayara de Sousa Marques, de 27 anos, é voluntária do projeto, mas já foi paciente do hospital e realizou um tratamento contra leucemia. Naquela época, a vida não fazia mais sentido para ela. “Foi um momento muito triste na minha vida. Eu estava enfrentando um câncer e entrei em depressão. Tive até pensamentos de suicídio, pois só queria acabar com a dor que sentia por ter recebido o diagnóstico”, lembrou.

adolescentes, passa, vida

A depressão estava piorando o quadro de Anayara. No entanto, quando conheceu o projeto Help, ela encontrou o que precisava para superar os problemas emocionais.

Hoje, livre tanto do câncer quanto da depressão, ela avalia que é muito importante retornar ao hospital e ajudar outras pessoas a lidar com esse momento difícil, que ela também enfrentou.

Anayara relatou que conversou com uma paciente que está com câncer de mama. “Ela estava desesperada e disse que não estava mais vivendo, mas apenas sobrevivendo. Passei para a ela o contato do Help e enfatizei que, caso quisesse conversar com alguém ou pedir ajuda, estaríamos sempre à sua disposição. Também contei para ela um pouco da minha história e percebi que ela saiu de lá bem melhor.”

Saiba mais sobre a FJU
A Força Jovem Universal (FJU) foi formada em 1977 e reúne jovens voluntários que têm o objetivo de ajudar adolescentes sem perspectiva de vida.

Por meio do projeto Help FJU, jovens recebem auxílio para vencer a depressão, automutilação, suicídio, traumas, complexos e bullying.

Em 2018, as ações desenvolvidas por voluntários da FJU beneficiaram quase 3,5 milhões de pessoas.


  • UNICom / Fotos: Cedidas 


reportar erro