Rede aleluia

Notícias | 4 de julho de 2018 - 03:05


Governo muda regras do FIES

Saiba como você pode ser beneficiado pelas mudanças

O Governo anunciou mudanças no Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) que passam a valer já a partir do segundo semestre de 2018. A partir de agora os financiamentos serão maiores e mais estudantes devem ser atendidos.

A primeira mudança divulgada pelo Ministério da Educação (MEC) é o estabelecimento de um percentual mínimo de financiamento em cada bolsa de estudos. Até a semana passada cada pretendente à bolsa passava por uma avaliação que determinava o percentual de financiamento concedido pelo Governo. Esse financiamento podia variar entre 1% e 100%. A partir de agora, o valor mínimo de custeio é 50%, sendo que isso é determinado de acordo com a renda familiar e o custo mensal pago à instituição de ensino superior.

Outra mudança é o aumento no valor liberado para financiamentos. O teto da bolsa individual passará de R$ 30 mil para R$ 42.983 por semestre (de R$ 5 mil a R$ 7.156,33). Esse aumento visa oferecer aos jovens de menor poder aquisitivo a oportunidade de ingressar em cursos mais caros, como Medicina ou Animação.

Quem pode aderir ao FIES?

Tem direito ao financiamento do FIES o estudante cuja renda familiar máxima seja de até três salários mínimos.

O FIES só financia cursos oferecidos por instituições aprovadas pelo MEC, sendo que essas instituições devem aderir ao programa. Para saber quais faculdades e universidades fazem parte do FIES clique nesse link: http://sisfiesportal.mec.gov.br/ .

Lembrando que caso o candidato já tenha sido beneficiado pelo FIES ou esteja inadimplente com o programa ele não terá direito ao financiamento.

Ainda dá tempo

A programação do Governo para 2018 é distribuir 310 mil vagas no ensino superior. Ainda restam 155 mil.

No entanto, os 155 mil alunos que aderiram ao programa no início de 2018 também podem solicitar a revisão da bolsa. Dessa maneira todos estarão incluídos no novo teto.


  • Por Andre Batista / Imagem: iStock 



reportar erro