Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 12 de dezembro de 2018 - 18:53


“Figurinha repetida não completa o álbum”

Conheça a história da mulher que ficou 14 anos na igreja e não viu sua vida mudar

Você conhece todas as frutas brasileiras? Esta mulher da foto, conhece. Seu nome é Sandra. Ela obteve este conhecimento quando servia aos encostos. Isto porque uma entidade a ordenou que comprasse uma unidade de cada fruta típica do Brasil.
“Gastamos horrores para fazer isso. Foram mais ou menos 150 frutas. Fomos fazer o trabalho e caímos em uma pedra. Perguntei à entidade porque havia caído, mesmo tendo feito o trabalho. Ele me respondeu que faltaram três frutas e que eu deveria aprender a fazer as coisas direito”, lembra.
Sandra gastou dinheiro para oferecer o trabalho, mas não tinha nem sequer para comprar leite para suas filhas. Dependia de doações para alimentá-las. “Eu vivia em uma miséria terrível. Eu misturava meio saquinho de leite com água e farinha para dar as minhas filhas. Tinha depressão e síndrome do pânico”, recorda.

Figurinhas que não completam o álbum

Ela conheceu a Universal, mas ficou 14 anos na igreja com a vida da mesma forma. “Eu tinha um orgulho, não fazia exatamente como os pastores falavam. Até que eu tive mais problemas e meu marido chegou a falecer. Então eu decidi obedecer”.
Logo em seguida, Sandra fez, pela primeira vez, seu sacrifício na Fogueira Santa de Israel. “Eu pedi o Espírito Santo e em uma vigília eu fui batizada com o Espírito Santo. Eu até falo que Figurinha repetida não completa o álbum, ou seja, sacrifício repetido não chama atenção de Deus”, destacou.
Confira o vídeo abaixo e veja como está a vida de Sandra, atualmente.

A Fogueira Santa de Israel

A Fogueira Santa de Israel no Monte Carmelo é um propósito de fé para mudança de vida, após o recebimento do Espírito Santo. Participe você também. Uma nova vida lhe espera no Altar.
Para mais informações, procure uma Universal. Você encontra o endereço perto de sua casa, clicando aqui.

Oração da Meia-Noite

Também não deixe de acompanhar a Oração da Meia-Noite, que vai ao ar a partir das 23h30. A oração é transmitida por meio do Facebook da Universal, pelos canais de televisão CNT, 21 e TV Universal e por meio da plataforma de streaming Univer Vídeo.


  • Rafaela Dias / Foto: Reprodução 


reportar erro